A cultura e as artes perdem o talento de Cosme Cavalcanti aos 70 anos

0
270

Por Carlos Humberto / Foto: Arquivo pessoal

A cultura e as artes da região sofreram nesta terça-feira (27) a perda irreparável do arquiteto Cosme Cavalcanti, aos 70 anos, vítima de complicações de acidentes vasculares cerebrais (AVC), deixando uma lacuna de talentos memoráveis.

Natural de Afrânio, onde fundou o Museu Pai Chico, adotou Petrolina como moradia e desde os tempos de estudante foi participante ativo dos movimentos culturais de Petrolina e Juazeiro, como um dos fundadores da Agremiação dos Universitários de Petrolina (Agrupe) que, ao lado da Associação dos Universitários de Juazeiro (AUJ), marcaram época nos anos 1970 e 1980, desenvolveram o potencial dos artistas locais promovendo festivais de música, de literatura, pintura, gincanas e artes cênicas, entre outras realizações.

Além da paixão pela arquitetura e o paisagismo, foi dono de loja de artes e no âmbito político serviu a Petrolina e Curaçá (BA) exercendo a função de secretário municipal na gestão de vários prefeitos. Como pintor, outra paixão de sua vida, participou de várias exposições em nível nacional.

Filho de Jesus Ramos Cavalcanti e Maria Alves Cavalcanti Ramos, Cosme é pai da jornalista Lara Cavalcanti e, além do seu rico legado, deixa familiares, amigos e admiradores enlutados.

Até o fechamento dessa matéria não conseguimos informações sobre horários e locais do velório e sepultamento.