Cuca: O passado não perdoa

0
241
Cuca Corinthians x Remo - Foto Rodrigo Coca-Divulgação
Por Carlos Humberto - Foto: Rodrigo Coca/Divulgação
Cuca Corinthians x Remo – Foto Rodrigo Coca-Divulgação

Após dois jogos em sete dias no comando técnico do Corinthians, o treinador Cuca, 69 anos, pediu demissão do cargo após classificar o time para a próxima fase da Copa do Brasil nesta quarta-feira, quando derrotou o Remo nos pênaltis por 5 a 4, após vitória no tempo normal por 2 a 0. Nos bastidores, a decisão já havia sido tomada e anunciada aos jogadores e diretoria.

Mesmo jurando inocência, Cuca não resistiu à pressão da torcida corintiana nas redes sociais e as críticas da opinião pública na mídia paulista. A Fiel não aprovou a chegada do treinador que, pressionado pela própria família, resolveu abreviar sua passagem pelo Timão.

Entenda o caso

Em 30 de junho de 1987, Cuca e mais três jogadores do Grêmio foram acusados de estupro a uma garota de 13 anos, durante excursão do time gaúcho na Suíça. Em 1º de agosto do mesmo ano, o jornal ‘O Globo’ noticiou a prisão dos quatro jogadores.

36 anos depois, o fantasma do chamado ‘Escândalo de Berna’, voltou à tona de forma contundente, questionando o comportamento do profissional e a falta de critérios da diretoria para contratar o técnico, e Cuca passou a viver o drama dos personagens do filme ‘O Passado Não Perdoa’, de 1960, dirigido pelo cineasta John Huston.

O desfecho aconteceu nesta quarta-feira, após a partida contra o Remo, depois de apenas seis dias de trabalho na função, deixando o time sem treinador às vésperas do Dérbi contra o Palmeiras, válido pelo Brasileirão Rei.