Flamengo reage bem e bate Volta Redonda, mas dúvidas persistem

0
321
Pedro, atacante do Flamengo - Foto: André Durão-GE
Por Carlos Humberto 

O primeiro jogo do Flamengo após a frustração do Mundial de Clubes terminou em vitória por 3 a 1 contra o Volta Redonda, pelo Campeonato Carioca, nesta terça-feira (15). Mas não foi fácil, como pode supor o placar.

No primeiro tempo, o time da cidade do aço se aproveitou do desentrosamento do visitante e saiu vencendo por 1 a 0, gol de Luizinho, aos 45 minutos. A seu favor, o Flamengo teve na primeira metade da partida uma bola no travessão chutada por Arrascaeta e um pênalti perdido por Gabigol. O domínio, porém, foi do Volta Redonda, repetindo o mesmo desempenho dos jogos do Mundial de Clubes.

Pedro, atacante do Flamengo – Foto: André Durão-GE

Como se o segundo tempo fosse outro jogo, com Everton Ribeiro em campo em lugar de Gerson, o Flamengo cresceu e passou a ditar as ações ofensivas da partida, obrigando o Voltaço a se recolher diante da fúria do rival. E com naturalidade, os gols começaram a nascer. Aos 12 minutos Gabigol se redimiu do pênalti perdido e empatou. O mesmo Gabigol virou para 2 a 1, aos 28, recebendo passe de Arrascaeta, e para fechar a conta, o artilheiro Pedro assinou o terceiro gol.

A apresentação do segundo tempo inflou o coração dos rubro-negros que aplaudiram de pé seus ídolos. As dúvidas, no entanto, persistem, e cabe ao técnico encontrar as respostas para que o melhor elenco do futebol brasileiro seja também o melhor conjunto e pratique o futebol dos sonhos de todos os torcedores.

ANÁLISE

Em busca de um novo formato para o futebol do Flamengo, o técnico Vitor Pereira promoveu mudança no meio-de-campo Rubro-Negro diante do Volta Redonda nesta quarta-feira (15), no estádio Raulino Oliveira, mas no final, para reverter um possível resultado negativo, o professor foi obrigado a recorrer aos mesmos personagens que consagraram a alma do Flamengo nas últimas conquistas.

No segundo tempo, Everton Ribeiro que fora sacado do time em nome da cobrada mudança, entrou em campo para comandar a reação flamenguista. Com a antiga formação, o Flamengo se impôs diante de um adversário que lutou bravamente para não sucumbir à maior categoria do campeão da Libertadores, e presentou sua torcida com uma vitória indiscutível por 3 a 1, graças ao brilho do capitão Everton Ribeiro, Arrascaeta, Gabigol e Pedro.

O triunfo, no entanto, não mascara os problemas do Flamengo. A defesa passou a ser um problema sério, e o meio de campo precisa urgentemente de outro João Gomes, para que os maestros do time tenham fôlego suficiente para fazer a equipe a brilhar.

Com pouco mais de 40 dias de trabalho à frente do elenco, Vitor Pereira já teve tempo para concluir suas observações e fazer as escolhas certas. Nesse tempo, dois títulos perdidos – a Supercopa do Brasil e o Mundial de Clubes – já estão debitados na sua conta.

Se valer do bom momento financeiro do clube para sugerir reforços é questionável. Um jogador como Marinho, visivelmente desprezado pelo treinador, não perdeu seu melhor futebol de uma hora para outra. Ele precisa de respeito e oportunidades para provar sua importância no grupo.