No peito, na raça e nos pênaltis Petrolina consegue classificação inédita na semifinal do Pernambucano

0
198

Por Tony Martins – Foto: ASCOM/Petrolina

Foi um capítulo histórico vivenciado pelo torcedor petrolinense na tarde desta terça-feira (04/04/2023), quando 2.208 pessoas lotaram as arquibancadas do Estádio Paulo Coelho para testemunhar um momento inédito: uma equipe da cidade, pela primeira vez. chegar à semifinal de um campeonato estadual, empatando com o Santa Cruz no tempo normal por um a um e vencendo nos pênaltis.

PRIMEITO TEMPO DE POLÊMICA E UM GOLAÇO

O primeiro tempo foi marcado, notadamente, por dois momentos importantes: a falta de critério da arbitragem (inclui-se o árbitro central Gilberto Castro Junior e o VAR) que não expulsaram um jogador do Santa Cruz que estendeu o braço de forma excessiva sobre o rosto do lateral Dener do Petrolina, nem o meia Chiquinho que deu uma cabeçada em um companheiro, no entanto, avermelharam Dener que, também se excedeu ao erguer o braço em demasia, atingindo o rosto de um adversário.

O outro momento aconteceu aos 44 minutos quando Acauã balançou o corpo em frente ao adversário na ponta direita e chutou no ângulo direito do goleiro Michael para fazer Petrolina um a zero.

Fora isso, apenas duas cabeçadas do Santa Cruz, uma tocou no travessão e a outra o goleiro Alan defendeu. O Petrolina teve um chute perigoso rebatido pelo goleiro.

Para o segundo tempo, foram efetuadas várias

substituições pelas duas equipes. O treinador Felipe Conceição buscou deixar o Santa Cruz mais ofensivo, enquanto William Lima, com um jogador a menos, estabeleceu um sistema de jogo que lhe proporcionasse pouco risco. Isso ocorreu, pois, a equipe da capital, apesar da posse de bola, não oferecia perigo à Fera Sertaneja, só conseguindo o empate num chute certeiro de longe, com Anderson Paulista aos 33 minutos finais, empatando o jogo

A EMOÇÂO DOS PENALTIS

Na série de cinco cobranças, o Santa Cruz perdeu uma, o Petrolina também. Nas cobranças alternadas quem primeiro perdeu foi o Santa, Marquinhos poderia definir a situação para a Fera Sertaneja, porém, desperdiçou. O Santa cobrou de novo, perdeu.

Raykar, que entrou no segundo tempo, finalizou com sucesso: A FERA CHEGOU!

Na sexta feira da paixão (07/04/2023), o Petrolina enfrentará o Sport na Ilha do Retiro, quem ganhar chegará à final da competição.