Sebrae e Fieb promovem Café Empresarial para apresentar soluções para a indústria do Vale do São Francisco

0
90

Sebrae e Fieb promovem Café Empresarial para apresentar soluções para a indústria do Vale do São Francisco

Encontro reuniu as principais instituições do Sistema S com propostas inovadoras

Por Carlos Humberto para ML Comunicação

O auditório do Grande Hotel, em Juazeiro, no Norte da Bahia, recebeu, nesta terça-feira (28), empresários do segmento industrial do Vale do São Francisco para ouvir de representantes das principais instituições do Sistema S local propostas de soluções para o desenvolvimento das indústrias da região.

Batizado de Café Empresarial – Soluções para a Indústria, o encontro foi prestigiado pelo presidente da Associação dos Empreendedores do Distrito Industrial do São Francisco (AEDISF), Nilton Sampaio, além do gerente regional do Sebrae em Juazeiro, Carlos Cointeiro; Aline Dias, gerente do SENAI-Juazeiro; Alisson Virgulino, gerente do SESI-Juazeiro; Uana Nager, analista comercial do IEL-Juazeiro; e Lucas Almeida, analista industrial do núcleo de serviços da Fieb em Juazeiro.

Durante o evento foram discutidas temáticas que tinham como objetivo impulsionar a produtividade e a competitividade dos negócios. Para Lucas Almeida, analista industrial da Fieb, “através do nosso núcleo, colocamos em pauta todos os serviços com o objetivo de reforçar o nosso compromisso com o desenvolvimento industrial na região Norte do nosso estado e apresentamos novos produtos como a filiação sindical, a internacionalização, o apoio às frentes de documentos ambientais e a parte de relação governamental”.

Em sua fala, o presidente da AEDISF, Nilton Sampaio, ressaltou a importância de uma participação maior nas ações coletivas para impulsionar de forma definitiva o associativismo e o cooperativismo na região.

Seguindo o mesmo pensamento do presidente da AEDISF, o gerente do Sesi, Alisson Virgulino, sugeriu organizar encontros semanais para discutir e encontrar soluções para promover a integração entre os associados e representantes do setor industrial, principalmente os lotados no Distrito Industrial. “Acredito que o diálogo é o melhor caminho para encontrar uma maneira de tornar o associativismo uma coisa natural e necessária para o crescimento da classe produtiva industrial”, acredita Virgulino.

Cointeiro considerou que o encontro “atendeu à expectativa plenamente”. Ele explicou que “a prática teve o objetivo de levar a todos os negócios da área industrial as possibilidades disponíveis ofertadas pelo Sebrae e seus parceiros que atendem a indústria, a fim de fortalecer os pequenos negócios, tornando-os mais competitivos, facilitar o acesso aos programas, projetos e serviços, para que eles possam se qualificar, melhor atender ao mercado consumidor, que é o grande objetivo de uma pequena indústria”.