Será que a culpa da campanha foi mesmo do Renato Paiva?

0
258
Foto Rafael Machado ECB

A opinião de Jota Jota

Embora tenha afirmado por várias vezes que não pediria demissão, e que somente a direção do City o retiraria do cargo, na última quarta-feira (6) o técnico Renato Paiva surpreendeu entregando o cargo de treinador do Bahia, não sem antes discutir abertamente com repórter, desdenhar do torcedor que pedia insistentemente a sua saída.

No futebol brasileiro, de forma costumeira, quando uma equipe não vai bem das pernas e acumula resultados desfavoráveis, a corda só arrebenta em cima dos treinadores, por mais que tentem mudar o rumo das coisas, os conhecidos professores pagam o pato.

A torcida do Bahia e parte da imprensa baiana, vão tirar o couro do colunista, pois eu não culpo integralmente o treinador Renato Paiva, haja vista que em inúmeros jogos, o time do Bahia foi gigante na etapa inicial, na volta dos vestiários sem fazer mudanças, o time voltava bem abaixo da crítica, com uma letargia incomensurável, permitindo o crescimento do adversário que fora massacrado inicialmente.

As peças substituídas em inúmeras partidas não foram eficientes para mudar o rumo do jogo, e assim aconteceu dentro e fora de casa. O time criou inúmeras oportunidades em diferentes oportunidades, mas não traduziram em gols, e no futebol time que não faz… toma.

Mas aconteceu o que já se vinha pedindo a muito tempo, e volto a dizer a troca de treinador no Brasil é frequente, e com a chegada do novo, os times voam nos primeiros momentos. Por este motivo é que vou esperar os primeiros momentos do novo professor que vai chegar no Tricolor Baiano.

Não, eu não acho que o Paiva teria que continuar, tudo conspirou contra o português, e nestes casos a mudança é o único caminho, quero ver o trabalho destes mesmos jogadores que com Paiva não fizeram a tarefa direito, pode ser que o novo mestre os faça tirarem notas mais altas do que conseguiram até aqui.

Um montão de dinheiro gasto e um elenco bem abaixo das expectativas do apaixonado torcedor tricolor. Como dizem que a esperança é a última que morre, a mesma ainda vive forte no torcedor do Bahia que mesmo com tanta falta de pontos, não abandonou o barco em nenhum momento.

A nova era começa em Curitiba contra o Coxa, adversário tradicional, é só aguardar este que é um confronto mais do que direto.

#PRONTOFALEI@JOTAJOTA.