Unimed Vale do São Francisco participa de congresso internacional de enfermagem

0
250

Por Carlos Laerte

Profissionais de enfermagem da Unimed Vale do São Francisco e de países como Espanha, Argentina, Canadá, Peru e Austrália, participaram, entre os dias 07 e 10 deste mês, no Palácio das Convenções do Anhembi, na cidade de São Paulo, do 16° Congresso Brasileiro de Enfermagem em Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e Esterilização.

O evento, que teve como tema central a experiência do paciente cirúrgico: o cuidado singular do amor de alguém, trouxe ao Brasil, pela primeira vez, especialistas do segmento, a exemplo do professor e presidente de Enfermagem do Royal Bristane e Women’s Hospital e Queenesland University of Techenology, da Inglaterra, Jed Duff; o presidente da International Federation of Perioperative Nurses, dos Estados Unidos, Patrick Voight e a CEO Ovner Perioperative Executive and Leardship Consulting Germantown, Rute Shumaker, também dos EUA.

Enfermeiro e gestor do bloco cirúrgico, hemodinâmica e CME do Hospital Unimed Petrolina, Paulo César Barros, ressaltou como de suma importância a participação no congresso. “Tivemos acesso a uma programação científica bastante significativa para o aprimoramento na área perioperatoria. Vamos agora colocar em prática, no dia a dia, tudo aquilo que aprendemos, tendo como foco principal o atendimento ao paciente cirúrgico”, destacou.

Outro integrante da delegação, a enfermeira do Núcleo de Segurança do Paciente da Unimed Vale do São Francisco, Suenia Maciel Videres, ressaltou a troca valiosa de conhecimentos e experiências. “Gostei muito das palestras, das oficinas, das discussões em grupo e do networking. Meus conhecimentos foram amplamente desenvolvidos e voltei muito motivada”, acrescentou.

Para o coordenador do bloco cirúrgico do Hospital Unimed Juazeiro, Matheus Henrique Aguiar, a experiência também serviu como atualização em áreas a exemplo de Endoscopia, OPME, Gestão, Educação/Pesquisa e Processo Anestésico. “Tivemos ainda atividades simuladas de Centro Cirúrgico e CME, tudo reforçando o cuidado ao paciente e a empatia, pois quando cuidamos de um paciente, cuidamos do amor de alguém com ênfase na singularidade: ou seja único e humanizado”, concluiu.