Workshop abre horizontes para a construção civil em Petrolina

0
236
Por Carlos Laerte – Clas Comunicação

A inovação, o desenvolvimento e o futuro da indústria da construção civil no Sertão do São Francisco foram os principais temas discutidos durante um workshop realizado pelo SENAI-PE, na última terça (14) e quarta (15), em Petrolina. O evento, que reuniu representantes da indústria, universidade e instituições científicas, tecnológicas e de inovação (ICTs) de Pernambuco, compartilhou conhecimentos, a exemplo do BIM (Building Information Modeling, em português, “Modelagem de Informação da Construção”) e desafios na educação, gestão de qualidade e eficiência energética.

No primeiro dia, a programação do ‘Workshop Maturidade e Inovação no Setor da Construção Civil’ teve as participações do presidente do CREA-PE, Adriano Lucena, com o gestor do Sebrae, Charlys Wilton dos Anjos Bezerra, com o diretor geral da Mútua, Marcelo Tabatinga e com o diretor financeiro da Mútua Pernambuco, Jurandir Liberal. O evento contou também com a coordenadora de construção civil do SENAI-PE, Andreza Pyrrho, que apresentou a Agenda TECH – Transformação Digital na Construção Civil: Investigando a adoção de Tecnologias e os impactos no desempenho e sustentabilidade da indústria pernambucana.

A arquiteta, urbanista e consultora do SENAI, Mariele Ferreira, foi uma das palestrantes e falou sobre a introdução ao BIM, trazendo à tona os conceitos, suas aplicações e o impacto no setor da construção civil. “O BIM é uma metodologia que incorpora todas as áreas, construtores, projetistas entre outras. A gente precisa fazer essa inserção de forma gradativa”, destacou.

Já o presidente da Associação para o Desenvolvimento e Promoção do BIM em Pernambuco (ABIMPE), Tiago Lopes, abordou a implementação da norma do ISO 19650. “É uma forma de os profissionais da área começarem a pensar na fase operacional de manutenção”, pontua. Destaque ainda para a palestra dos professores do IF-Sertão, Francisco Jesus e Thales Souza, abordando os desafios de aplicação do BIM na educação e as possibilidades de inserção, a partir do projeto NEABIM – Núcleo de Extensão.

No segundo dia, o evento ficou por conta dos idealizadores do projeto, que há um ano participou do edital Plataforma Inovação para a Industria, iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e do Serviço Social da Indústria (SESI) que tem como objetivo financiar o desenvolvimento de soluções inovadoras para a indústria brasileira. O projeto teve como finalidade realizar uma pesquisa sobre a maturidade do setor da construção civil quanto a suas temáticas, incluindo transformação digital, metodologia BIM, eficiência energética e gestão de resíduos.

Na ocasião, Andreza Pyrrho e o coordenador técnico de consultoria de eficiência energética do SENAI-PE, Ricardo Chalegre, abordaram também a qualidade energética no ciclo de vida do empreendimento. Andreza citou a importância da aplicação do Sistema de Gestão da Qualidade na indústria da construção civil, destacando a gestão de qualidade. “O sistema de gestão de qualidade (SGQ) foi intitulado como uma ISO, a norma internacional 9001. Isso está relacionado ao que foi abordado no primeiro dia do workshop, relativo à ISO 19650. Uma construtora que deseja implantar o BIM ou a eficiência energética nos seus empreendimentos precisa estruturar a base dos processos organizacionais, desde a contratação de pessoas, a compra de matérias até o controle de qualidade de produtos”.

Ricardo Chalegre, por sua vez, afirmou que a eficiência energética é transversal. “Atualmente, o SENAI aplica esse segmento na indústria. A construção civil não deixa de ser uma indústria, mas com processo de produção contínua. Com esse projeto, passamos a ter uma visão mais ampliada para a construção civil, pois percebemos que tem uma oportunidade maior, desde o projeto, processo e na finalização nas escolhas dos produtos e na empresa”.

Completando o ciclo de apresentações, o engenheiro civil da Azur, Elie Tozzi, ressaltou a existência de sistemas de inovação habitacional que incentivam a preservação do meio ambiente, como, por exemplo, o IPTU Verde, bem como a implantação de sistemas eficazes, a partir da energia eólica, gás e água.

Para a gestora escolar do SENAI Petrolina, Carol Campos, o saldo do workshop foi positivo. “O evento foi bastante relevante para a construção civil, trazendo novidades, por meio da inovação digital, para esse segmento que é tão significativo para a nossa região”. Ao final das palestras, os dois dias de evento também contaram com um bate-papo com Mário Spínola Ramos Gomes, diretor de Engenharia da Construtora Venâncio, e Gabriel Belfort, diretor da Majestosa Engenharia.