A opinião de Jota Jota

Jota Jota

Bahia e Atlético Mineiro não foram além de um empate na Arena Fonte Nova, em jogo que as duas equipes não conseguiram apresentar um bom futebol, e o Bahia completou nove jogos sem triunfar, o que deixou a torcida ainda mais chateada, e que proporcionou algo inédito, ainda no primeiro tempo, enquanto as organizadas vaiavam o time, os torcedores contrários sufocaram os protestos, tentando ainda empurrar o time, e o primeiro tempo chegou ao fim, sem que o placar fosse aberto.

Na volta para o segundo tempo, o Bahia voltou um pouco melhor, mas ainda desordenado, mas buscava o resultado positivo, e em uma falha do zagueiro Juninho, Casares abriu o placar para o Galo Mineiro, deixando ainda mais enfurecida os arquibaldos. Inferiorizado no marcador, só restou ao time tricolor, partir para raça, mesmo que desorganizado, pressionou e chegou ao gol de empate com Élber.

Daí por diante, precisando acabar com o jejum, armou-se uma blitz, fazendo o Atlético recuar, e ser pressionado no restante do jogo, tentando esporadicamente sair da defesa para o ataque. Com toda pressão desordenada, e sem criar oportunidades concretas de gol, a partida se desenrolou até o final, fazendo com que o Bahia, chegasse a mais um jogo sem somar 3 pontos em casa, e ou mesmo fora.

Foto: Felipe Oliveira/ECB

E ao final do jogo, o que se ouviu, foram as vaias dos pouco mais de 13 mil torcedores, vaiando impiedosamente o time, não aceitando a situação em que se encontra atualmente, e vale a pena ressaltar o trabalho do Roger Machado, que tentou de todas as formas, reformular o esquema tático, utilizando peças disponíveis no banco de reservas, que não corresponderam como sempre, foi como trocar seis, por meia dúzia, só mudou a nomenclatura, o efeito foi o mesmo, negativo.

A reta final do time tricolor, está sendo caótica para o seu torcedor, que ao longo do campeonato, teve a esperança de chegar à Libertadores das Américas, pelo conjunto da obra, os triunfos eram convincentes, e os elogios rasgados por toda imprensa nacional, mas não mais que de-repente, o caminhão desgovernado perdeu os freios, e vem descendo a ladeira de água e brusca.

O bom, é que a gordura conquistada pelo caminho, proporciona ao Bahia, uma tranquilidade com relação ao rebaixamento, sem correr nenhum risco, embora o torcedor exija, uma chega mais honrosa na linha de chegada, e as cobranças serão muitas no decorrer da semana, mesmo com as explicações de Gilberto na coletiva e de Fernandão ao final do jogo, rebatendo as broncas do torcedor, tentaram se explicar, mas não conseguiram justificar a queda de produção. E pela vez primeira, em uma má fase, o treinador não é afetado nas duras críticas, porque o torcedor, enxerga a letargia do time em campo.

#PRONTOFALEI.