Por Carlos Humberto – texto e fotos

Os jogadores da Juazeirense estão em atividade há mais de uma semana, novos jogadores enriquecem o plantel, a equipe estreia no campeonato estadual em 20 de janeiro, mas o assunto predominante entre torcedores e na imprensa esportiva da Bahia é um só: onde será o local da partida contra o Vasco da Gama pela Copa do Brasil.

A cena se repete sempre que o presidente Roberto Carlos ou o diretor de futebol Sérgio Fernandes são abordados por repórteres de rádio, jornal, sites e televisão, como aconteceu na tarde desta terça-feira, no Estádio Adauto Moraes, durante o treino da equipe.

A todos, o discurso da diretoria é o mesmo: propostas de empresários estão chegando e pelo menos três já ofereceram valores para levar a partida para o estádio Mané Garrincha, em Brasília, Arena Pantanal, no Mato Grosso, e o Batistão, em Aracaju-SE. A decisão, no entanto, ainda não foi tomada e, de acordo com o presidente Roberto Carlos, só vai bater o martelo após ouvir o prefeito Paulo Bomfim, colaborador importante do clube, o que poderá acontecer antes do final do ano.

Longe da polêmica, jogadores treinam em pré-temporada (Foto: Carlos Humberto/Agência CH)

Sem se aprofundar no tema, o dirigente evita falar de valores, mas assegurou em entrevista que as propostas recebidas “Dariam para cobrir as necessidades do clube por três ou quatro meses”. Para tranquilizar a torcida, Roberto garante que “Não vamos nos precipitar. Todos sabem que eu amo o futebol, mas como dirigente responsável, não posso deixar que a paixão se sobreponha à razão. Junto com meus companheiros de diretoria e colaboradores, vamos decidir o que for melhor para o clube” – finalizou o dirigente.