As duas equipes ainda buscam ajustes para estreia nos campeonatos estaduais

Por Carlos Humberto – texto e foto

Juazeirense e Petrolina encerraram neste domingo 13, no Adauto Moraes, a fase de amistosos que precede a estreia dos dois representantes do Vale do São Francisco nos campeonatos baiano e pernambucano no próximo domingo 20, quando o Cancão recebe o Atlético de Alagoinhas em casa, enquanto a Fera Sertaneja visita o Afogados no mesmo horário, às 16 horas.

Após 90 minutos intercalados de escassos momentos de lucidez e talento, e outros tantos de total falta de inspiração, o placar apontou a vitória do time da casa por 2 a 1, premiando aquele que errou menos.

Entrevistados em momentos distintos, as explicações dos treinadores pareciam ajustadas. Os dois, cada um a seu modo, alegaram a falta de entrosamento e as precárias condições físicas de alguns jogadores recém incorporados aos elencos para justificar o desentrosamento e a pouca criatividade na criação das jogadas.

Para o técnico Aroldo Moreira, da Juazeirense, sua equipe “Teve uma melhor atuação no amistoso contra o Salgueiro, mesmo saindo de campo derrotado por 1 a 0, do que na vitória sobre o Petrolina quando fomos superiores a maior parte do tempo” – avalia. E completa: “Mas é sempre bom chegar à estreia vindo de um triunfo”.

Alberto Lima, que assumiu o comando do Petrolina após a campanha vitoriosa na segunda divisão, gostou do teste contra a Juazeirense. “A derrota sempre tem um gosto amargo, mas eu gostei do desempenho da minha equipe. Foi um bom teste para um elenco ainda em formação” – reconheceu. Para Lima, o amistoso “Permitiu que eu observasse a minha equipe jogando no 3-5-2 no primeiro tempo e no 4-3-3 no segundo, quando conseguimos nosso gol” – finalizou.

Com maior volume de jogo, a Juazeirense, mesmo sem reeditar seu melhor desempenho, ditou o ritmo da partida no primeiro tempo, quando conseguiu anular todas as investidas do adversário e não permitiu que o Petrolina ameaçasse a baliza do goleiro Bruno. A posse de bola, no entanto, era improdutiva e não se transformava em gols.

O primeiro gol, creditado ao zagueiro Emílio, veio de uma bola parada e aconteceu após uma cobrança de escanteio aos 14 minutos do primeiro tempo. O lado mais forte do Cancão nessa etapa era pela direita, com as triangulações entre Jean Carlos, Ewerton e Bismarck e foi por ali que surgiu a jogada. No retorno para a segunda etapa, também aos 14 minutos, o atacante Nino Guerreiro ampliou para 2 a 0 cobrando pênalti assinalado pelo árbitro Josivan Mendes das Montanhas, e contestado pelos jogadores da Fera Sertaneja.

A partir daí as equipes se arrastaram em campo e nos acréscimos o meia Vando descontou para o Petrolina, completando para a meta do goleiro Dejair, que substituíra Bruno no intervalo.

Como reconhecem seus treinadores, as duas equipes ainda não estão prontas para as difíceis competições que começam nos próximos dias, e vão depender muito do talento e da garra dos jogadores, além das estratégias adotadas para superar adversários também em fase de afirmação.

FICHA TÉCNICA – Amistoso

JUAZEIRENSE 2 X 1 PETROLINA

Data: 13 de janeiro de 2019, domingo

Horário: 16 horas

Local: Estádio Adauto Moraes

Gols: Emílio (JUA), aos 14 minutos do 1º tempo e Nino Guerreiro aos 14 do 2º cobrando pênalti; Vando descontou para o Petrolina aos 47 do tempo final.

Juazeirense: Bruno (Dejair), Ewerton, Emílio, Nildo e William; Maicon, Jean Carlos (Patrick Belo), Patrik Kaway e Bismarck (Marquinhos); Nino Guerreiro (Jacó) e Kattê (Mika). (Técnico: Aroldo Moreira)

Petrolina: Pezão (Diego), Marquinhos, Jeffefson, Danilo e Rogerinho; Lucão (Reis), Café, Marcelo e Alan (Magnum); Raniel (Vando) e Naldo (Bibi). (Técnico: Alberto Lima)

Arbitragem: Josivan Mendes das Montanhas, João Duarte e João Batista. 4º árbitro Givanildo Leandro