Gols do jogo foram marcados após marcação de pênaltis que não existiram

Crédito: Correio da Bahia – Foto: Maurizia da Mata/ECV

Comandada pelo técnico João Burse, a equipe sub-23 do Vitória não apresentou um futebol empolgante e apenas empatou em 1×1 com o Moto Club, neste sábado (19), no Barradão, pela segunda rodada da Copa do Nordeste. Vale destacar que os gols do jogo foram convertidos após a marcação de pênaltis que não existiram.

Com o resultado, o rubro-negro ocupa a terceira posição do Grupo A, com dois pontos. A equipe maranhense tem mesma colocação e pontuação no Grupo B. As equipes têm um jogo a mais que os outros 14 participantes do torneio.

Os pouco mais de três mil torcedores que foram ao Barradão não demoraram para ver a bola estufar a rede. Logo aos dois minutos, o árbitro marcou falta em Luan dentro da área. Aos três, Nickson cobrou e assinou o segundo gol de pênalti dele na competição. Na estreia, ele já havia garantido do mesmo jeito o empate em 1×1 contra o CSA, no estádio Rei Pelé, em Maceió, terça-feira (15).

Luan tentou ampliar o marcador com uma boa jogada individual pela esquerda, mas pecou na finalização. Já o Moto Club encontrava dificuldade para criar jogadas ofensivas. Aos 16 minutos, investiu na bola parada com Evandro Russo, mas ele cobrou a falta por cima do travessão.

O jogo ficou morno, até que Jhemerson tentou surpreender o goleiro visitante ao mandar uma bomba de fora da área. Após o susto, Rodolfo viu a redonda sair pela linha de fundo.

A partida voltou a ter emoção no final do primeiro tempo, quando o Moto Club cresceu em campo e assustou a defesa do Vitória em duas oportunidades. Aos 37 minutos, Danilo Galvão cruzou da direita e encontrou Márcio Diogo na área. O camisa 7 cabeceou, mas a bola caprichosamente bateu na trave. Na sequência, Juninho Arcanjo trabalhou a redonda na entrada da área, chutou rasteiro, mas mandou pra fora, à direita do gol de Caíque.

Outo pênalti
O segundo tempo começou como o primeiro acabou, com o Moto Club melhor em campo. O torcedor do Vitória teve que esperar 15 minutos pra ver uma jogada ofensiva. Mateus cruzou forte na tentativa de servir Eron, mas o goleiro Rodolfo se antecipou e afastou o perigo.

Aos 34, o goleiro Caíque também apareceu ao fazer boa defesa para impedir que o atacante Márcio Diogo investisse contra a meta rubro-negra. Os dois voltaram a ficar cara a cara nos minutos finais da partida e dessa vez o jogador da equipe maranhense levou a melhor. Aos 39, o árbitro marcou mão do zagueiro Bruno Bisbo dentro da área. O defensor levou o segundo amarelo, foi expulso e, já fora de campo, viu Márcio Diogo converter o pênalti aos 41 minutos: 1×1.

No último lance do jogo, Farinha ainda serviu bem Eron, mas o centroavante desperdiçou a oportunidade de garantir o triunfo no Barradão.

O Vitória jogou com Caíque, Cedric, Gabriel Silva, Bruno Bispo e Mateus; Hebert (Paulo Vitor), Jhemerson (Farinha) e Luan; Luan Ferreira (Ronald), Eron e Nickson.