Um jogo sem obrigações

Falôôô... A opinião de Jota Jota

Assim vai entrar em campo a Desportiva Juazeirense. Para cumprir seu último compromisso na fase inicial do certame baiano, o Cancão de Fogo recebe o Bahia de Feira no Adauto Moraes, sem chances de chegar às semifinais e já livre do rebaixamento. Por este motivo, a obrigação maior do espetáculo, é do BAFE, que depende só de si, para prosseguir vivo no campeonato. Ao time feirense, basta um empate e não será mais alcançado pelo quinto colocado, o Esporte Clube Bahia.

Em sendo assim, o técnico Carlos Rabello da Juazeirense, deverá fazer algumas observações, mas sem desmontar sua equipe principal, pois tem compromisso moral com a sua torcida, e com os demais times, que estão na briga por um lugar ao sol, observações que servirão para o campeonato brasileiro da série “D”, que já está batendo à porta.

O técnico que chegou, e conseguiu dar sobrevida ao time, tirando-o da zona de rebaixamento, quando as esperanças estavam quase que perdidas, agora vai ter que solidificar o elenco, para repetir a campanha de 2016, quando levou o clube para a série “C”, e que não conseguiu se sustentar. Agora, no entanto, com alguns dias pela frente, em uma Inter temporada, o elenco deverá ser fortalecido, com novas contratações, e as inevitáveis dispensas.

O estádio Adauto Moraes, deverá receber um bom público neste domingo 17, tendo em vista, a importância do jogo, para a parte de cima da tábua de classificação, para cinco equipes que pretendem chegar às finais do Campeonato Baiano, e a Juazeirense, deverá ser um dos pesos desta balança, por isso o interesse do torcedor, muito embora ao longo dos anos, o torcedor de Juazeiro, venha apoiando pouco, o único time que representa a cidade, mesmo com todas as dificuldades e falta de apoio.

É esperar, para que tenhamos um belo duelo entre Carlos Rabello, e Quintino Barbosa, ambos treinadores, com credibilidade nas barrancas do Velho Chico.

#PRONTOFALEI.