É presidente, e não mágico

Com a segunda derrota do Vitoria dentro da série B do certame brasileiro, alguns torcedores mais apressados já começaram a cobrar com veemência ações do presidente eleito Paulo Carneiro, que completa neste 14 de maio, exatos 20 dias de administração, querendo mudanças radicais no elenco, para colocar em ordem uma bagunça que vem acontecendo desde dezembro de 2016, quando se elegeu Paulo Catharino Gordilho Filho para o Conselho Deliberativo, e este elegeu Ivan e Almeida para a presidência do clube. Depois, a chegada de Ricardo David, outro desastre.

No futebol, onde milito desde 1964, ainda não vi um presidente de clube MÁGICO, aquele que chega com uma varinha de condão, ou artefatos de ilusionismo, e mudasse um clube, do caos, para o sucesso em 20 dias, se alguém conhece, peça a receita, e entregue no Barradão.

Todos tem conhecimento do fraco elenco, e que as falhas estão acontecendo seguidamente, em todo o conjunto, e também as individuais, que ficaram bem à mostra diante do Guarani em Campinas, além da torcida não aceita-lo, Caíque volta a ter excesso de confiança, que o leva à bancarrota, e a defesa, não inspira confiança alguma.

Paulo Carneiro, assim que recebeu o clube, constatou que o mesmo, estava com os cofres zerados, e que a renovação do elenco, não seria a que o torcedor, poderia esperar de imediato, a busca vai ter que ser por operários, que se enquadrem na situação monetária do leão, além do presidente, utilizar-se dos conhecimentos e amizades, para realizar uma campanha satisfatória, haja vista, que o elenco precisa de reforços pontuais, em quase todos os setores.

Vale salientar ainda, que todo treinador, tem seu dia de Professor Pardal, e Tencati, mudou o time que venceu o Vila Nova em casa, a não ser as obrigatórias, por contusão, e ou punição, porque as demais mudanças? Teria sido uma imposição, e interferência da direção do clube em seu trabalho? A ele Tencati, cabe a explicação, porque perguntar, e ter esclarecimentos, não ofende.

Nas redes sociais, o torcedor apaixonado, mas o que em nada ajuda, contesta, protesta, e faz comparações ridículas, tais como, “O Guarani, não vencia uma partida a dois meses”, será que em uma semana, ele se esqueceu, de que o Vitoria, ficou três meses, sem conseguir um triunfo, e que da mesma forma, que fizera diante do Vila Nova, para acabar com a fase, sofrera do mesmo veneno em Campinas.

Não, o Guarani não tem um time bem melhor do que o Vitoria, mas na partida errou menos, e aproveitou os erros cometidos pelos atletas rubro negros, daí o resultado final, porque a reação dos baianos, veio tardiamente, sem tempo para buscar o empate.

De nada adianta chorar o leite derramado, é iniciar a semana com trabalho, esperar as reações e ações, que certamente virão da presidência do clube, e o momento é de apoio, as críticas contundentes, só servirão, para afundar ainda mais a confiança do elenco, impossibilitando-o de uma possível reação, diante do São Bento no sábado, jogando no Barradão.

E o apoio do torcedor, que lutou pela mudança, não pode acabar com esta derrota, ele não pode se acomodar, voltando a ver os jogos, nos bares do Imbuí, é preciso estar no Barradão, empurrando o time, em busca dos três pontos na lição de casa, não se desiste de uma, da luta, quando ela mal tenha iniciado, a persistência, é uma virtude.

#PRONTOFALEI.