A história da Copa América

A Copa América, competição de seleções da América do Sul, tem mais de 100 anos e é a mais antiga do mundo entre seleções de futebol.

Uruguai é o maior campeão da Copa América.*

Copa América é um torneio de seleções de futebol da América do Sul filiadas à Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). Disputada há mais de 100 anos, a Copa América é a competição mais antiga do mundo entre seleções de futebol.

Em caráter de teste, a primeira edição da Copa América foi realizada em 1910, entre os dias 2 e 17 de julho. O torneio foi realizado na Argentina para comemorar o centenário da independência do país. Participaram dessa primeira edição o Chile, Uruguai e o Brasil, além do país-sede. O primeiro campeão foi o Uruguai, após disputar com a Argentina o jogo final, no Estádio Presidente Perón.

Estádio Presidente Perón, sede da final da primeira Copa América. [1]

A Conmebol só reconheceu o torneio como sendo oficial em 1916. Naquele ano, a competição foi promovida no Uruguai, e os anfitriões sagraram-se bicampeões, vencendo novamente a Argentina na final. O Brasil foi sede do torneio em 1919, quando se tornou campeão pela primeira vez. Os brasileiros venceram o Uruguai, por 1 a 0, na partida decisiva.

O ano de 1921 marcou a primeira participação do Paraguai, após ter se afiliado à Conmebol. Essa edição também foi a primeira vencida pela Argentina. Nos anos seguintes, o Uruguai dominou o torneio que, na época, era o maior campeonato de futebol do planeta, já que a Copa do Mundo ainda não existia.

Até 1967, o torneio era chamado de Campeonato Sul-Americano de Futebol, só em 1975, na 30ª edição, a competição passou a se chamar oficialmente Copa América. Além disso, a Conmebol também realizou mudanças no sistema de disputa. O sistema desse campeonato, que era de pontos corridos, passou a ter um formato semelhante ao da Copa do Mundo, com fase classificatória, seleções distribuídas em grupos e, em seguida, fases eliminatórias.

Periodicidade e formato

Em 2018, a Conmebol solicitou à Federação Internacional de Futebol (Fifa) mudanças na disputa da Copa América. Ficou definido pelas instituições que, a partir de 2020, o campeonato passará a seguir as datas da Eurocopa, ou seja, a Copa América será realizada a cada quatro anos.

Em suas primeiras edições, a Copa América foi realizada anualmente até 1929. Houve a exceção para 1918, pelo surto de gripe no Brasil, e 1928, pela disputa dos Jogos Olímpicos.

Depois da primeira Copa do Mundo, em 1930, houve divergências políticas entre Argentina e Uruguai, o que causou uma parada na competição. Só em 1935 foi possível disputar uma edição do evento, que foi oficialmente reintegrado ao calendário em 1939.

Durante os anos seguintes, a competição não foi jogada regularmente. Com isso, o torneio chegou a ficar oito anos sem ser realizado. A competição foi retomada em 1975, quando recebeu o nome de Copa América, mas, até então, o torneio não tinha local fixo e as partidas eram disputadas ao longo do ano em cada país. Nessa época, nove equipes participavam da fase de grupos com o campeão entrando nas semifinais.

Entre os anos de 1987 a 2001, a Copa América foi realizada a cada dois anos em rodízio pelos dez membros da confederação. O formato era constante, com a primeira rodada de grupos. Já a parte final variava entre um novo grupo final ou um sistema de eliminação única para decidir o vencedor.

Nos anos seguintes, até 2007, a competição passou a ser disputada a cada três anos. A partir de 2007, a periodicidade passou a ser a cada quatro anos, com exceção do centenário do torneio em 2016. Esse último ano também ficou registrado como a primeira vez que a Copa América foi realizada fora do continente sul-americano. O país-sede foram os Estados Unidos.

Atualmente, 12 equipes participam do torneio, sendo 10 delas filiadas à Conmebol e as outras duas como convidadas. O torneio é disputado em fase de grupos (quatro equipes divididas em três grupos). Classificam os três primeiros de cada grupo para as quartas de final. Depois são realizadas semifinais e final.

Convidados

A partir de 1993, a Conmebol passou a contar com seleções de outras federações como convidadas na Copa América, principalmente, as equipes da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe (Concacaf). Também houve a participação do Japão pela Confederação Asiática de Futebol (AFC).

Os primeiros convidados foram os Estados Unidos e o México. Já em 2016, na edição do centenário, foram convidadas seis seleções.

No total, até 2016, participaram da Copa América oito seleções de outros continentes. Confira:

  • Concacaf: Costa Rica (1997, 2001, 2004, 2011 e 2016), Estados Unidos (1993, 1995, 2007 e 2016), Haiti (2016), Honduras (2001), Jamaica (2015 e 2016), México (1993, 1995, 1997, 1999, 2001, 2004, 2007, 2011, 2015 e 2016) e Panamá (2016)
  • AFC: Japão (1999)
  • Em 2019, o Qatar é a seleção estreante na Copa América. A equipe do Japão também está entre os convidados.

Copa América no Brasil

Seleção Brasileira na disputa da Copa América 2016. [3]

O Brasil já sediou a Copa América por quatro vezes e, em 2019, recebe a competição novamente. De acordo com o rodízio, o Brasil deveria ter sido sede da Copa América de 2015, mas com a organização da Copa das Confederações de 2013, a Copa do Mundo Fifa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, o país trocou a ordem com o Chile, que sediou o evento em 2015.

A edição de 2019 será realizada entre os dias 14 de junho e 7 de julho. Serão cinco cidades-sede para receber os jogos: Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Os estádios selecionados foram Arena Corinthians, Arena do Grêmio, Arena Fonte Nova, Estádio do Maracanã, Estádio do Morumbi e Estádio Mineirão.

Estádio do Maracanã receberá a final da Copa América 2019. [4]

Participarão da Copa América 2019 as seguintes seleções: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai, Venezuela, Japão e Qatar.

Artilheiros

O brasileiro Zizinho marcou 17 gols na Copa América e é o artilheiro, ao lado do uruguaio Norberto Mendes.[5]

Brasil e Argentina dividem o posto de terem os dois maiores goleadores da história da Copa América. O argentino Norberto Mendes marcou 17 gols, o mesmo número que o brasileiro Zizinho. A diferença é que Norberto disputou quatro edições da Copa América (1945, 1946 e 1947) e Zizinho participou de seis (1942, 1945, 1946, 1949, 1953 e 1957).

Já os maiores artilheiros em uma única edição foram Jair da Rosa Pinto (Brasil – 1949), Humberto Maschio (Argentina -1975) e Javier Ambrois (Uruguai – 1975), com nove gols marcados por cada um.

Maiores campeões

O maior campeão da história da Copa América é o Uruguai, com 15 títulos. Logo em seguida está a Argentina, com um título a menos. O Brasil está em terceiro lugar e venceu a Copa América por oito vezes, mas nos últimos anos o retrospecto brasileiro foi melhor do que o dos adversários.

A Seleção Brasileira teve quatro conquistas nos últimos anos, contra apenas uma dos uruguaios e nenhuma dos argentinos. A última vitória argentina foi em 1993. Os uruguaios venceram em 2011.

Veja todos os títulos da Copa América:

PaísTítulos
Uruguai15 (1916, 1917, 1920, 1923, 1924, 1926, 1935, 1942, 1956, 1959, 1967, 1983, 1987, 1995, 2011)
Argentina14 (1921, 1925, 1927, 1929, 1937, 1941, 1945, 1946, 1947, 1955, 1957, 1959, 1991, 1993)
Brasil8 (1919, 1922, 1949, 1989, 1997, 1999, 2004, 2007)
Paraguai2 (1953, 1979)
Chile2 (2015, 2016)
Peru2 (1939, 1975)
Colômbia1 (2001)
Bolívia1 (1963)

Troféu

Troféu da Copa América

A Copa América teve apenas dois troféus. O primeiro foi chamado Copa América e produzido nos anos de 1916 e 1917, em Buenos Aires. O troféu foi uma encomenda do Ministério das Relações Exteriores da Argentina para ser doado à Conmebol.

A taça foi feita de prata e a base de madeira. As placas dos países campeões só foram adicionadas em 1979, na edição vencida pelo Paraguai. O troféu também não pode ficar em definitivo com a seleção campeã.

O segundo troféu foi feito especialmente para a Copa América Centenário, em 2016. A taça foi fabricada em metal, com acabamento interno de prata e banhado a ouro em sua parte externa. A posse definitiva ficou com o campeão daquela edição, o Chile.

Curiosidades

– Na primeira Copa América havia falta de juízes. A final do torneio foi apitada pelo treinador do Chile;

– O Equador e a Venezuela são os únicos países da América do Sul que nunca conquistaram a Copa América;

– Mesmo que Brasil e Argentina vivam na discussão do “Quem foi melhor? Pelé ou Maradona?”, na Copa América nenhum dos dois conquistaram títulos;

– Para disputar a primeira Copa América, realizada na Argentina, a Seleção Brasileira viajou a Buenos Aires por trem. Foram seis dias de viagem e, no trecho final, ainda pegaram um navio;

Forlán conquistou a Copa América em 2011 pelo Uruguai. [7]

– O uruguaio Diego Forlán, ao conquistar a Copa América em 2011, foi a terceira geração de sua família a levantar a taça. Seu pai, Pablo Forlán, e seu avô materno, Juan Carlos Corrazo, que era treinador, também venceram a competição em anos anteriores;

– As maiores goleadas da competição foram argentinas. Em 1942, a Argentina goleou o Equador por 12 a 0 e, em 1975, a Venezuela por 11 a 0. A terceira maior goleada foi brasileira. O Brasil, em 1949, goleou a Bolívia por 10 a 1;

– 150 minutos de jogo: Em 1919, na competição sediada no Brasil, houve o jogo mais longo da história da Copa América. Na final, o Brasil enfrentou o Uruguai e, após o empate nos 90 minutos iniciais, houve mais dois tempos de 15. O empate permaneceu e houve mais dois tempos de 15, pois ainda não existiam os pênaltis. O Brasil venceu por 1 a 0 e ganhou o primeiro título;

– Em 1975, 1979 e 1983 a Copa América não teve uma sede fixa. Os jogos foram realizados nos países participantes, em sistema de ida e volta;

– O Brasil foi a equipe que mais marcou gols em uma única edição da Copa América. Foram 46 gols em 1949.

Crédito das imagens:

[Imagem de capa] Seleção do Uruguai: Анна Нэсси / Wikimedia Commons

[1] Estádio Presidente Perón: Domínio Público / Wikimedia Commons

[2] Jogo da Copa Centenário: J Dimas / Wikimedia Commons

[3] Foto da Seleção: Betto Rodrigues / Shutterstock

[4] Foto do Maracanã: T photography / Shutterstock

[5] Zizinho: Poster do C.R. Flamengo / Wikimedia Commons

[6] Troféu Copa América: Hazaña17 / Wikimedia Commons

[7] Forlán: Ailura / Wikimedia Commons

Brasil Escola – Por Giullya Franco – Jornalista