Brasil ficou 40 anos, entre 1949 e 1989, sem conquistar principal torneio de seleções da América do Sul, deixando ídolos do time sem o troféu

Crédito: Placar

Pelé e Zico (Fotos: Getty Images e J. B. Scalco/Dedoc)

seleção brasileira é a maior campeã das Copas do Mundo com cinco taças, mas não conseguiu repetir essa hegemonia na Copa América, nem mesmo em seus períodos mais gloriosos. O Uruguai é o maior campeão do torneio continental (15 troféus), seguido por Argentina (14). O Brasil é apenas o terceiro, com oito taças, e ficou 40 anos na seca, entre 1949 e 1989. Isso significa que nem o Rei Pelé, presente no tri mundial (1958, 1962 e 1970) nem a incrível geração das décadas de 70 e 80, que teve Zico, Falcão, Sócrates e outros craques, conseguiram levantar a taça que será disputada no Brasil a partir desta sexta, 14. Há, no entanto, algumas explicações para este estranho jejum.

Já nesta época, a Copa América tinha uma importância secundária no calendário da seleção. Pelé e Zico, por exemplo, só disputaram o torneio uma vez cada. O Rei do Futebol, inclusive, foi artilheiro na Argentina com apenas 18 anos, mas o Brasil, então o atual campeão do mundo, terminou a competição com o vice-campeonato de forma invicta.

Nos anos seguintes à Era Pelé, a seleção enviou times alternativos ou sequer foi disputar o torneio. Já Zico, jogou a Copa América em 1979, com um formato diferente, e não voltou mais. Naquele período, jogadores que atuavam fora do país não vinham disputar a competição sul-americana. Zico, por exemplo, ficou de fora do torneio de 1983, quando atuava pela Udinese. Confira, abaixo, como foram as participações do Brasil no torneio nas eras Zico e Pelé.

Veja a tabela completa da Copa América

Era Pelé

1959 – Campeonato Sul-Americano (na Argentina)

Campeão: Argentina
Brasil: Vice-campeão
Participantes: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai

Foi a primeira Copa América de Pelé, um ano depois do título mundial de 1958, na Suécia. O astro de 18 anos foi o artilheiro do torneio, com oito gols. Todas as partidas foram disputadas no estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, e as sete equipes se enfrentaram em turno único. O Brasil terminou invicto, mas foi vice-campeão por ter empatado uma partida a mais que a campeã Argentina, que venceu todos os adversários, menos o Brasil, com quem empatou por 1 a 1. O time de Pelé também venceu todos os outros adversários, menos o Peru, com quem empatou por 2 a 2, ficando com o vice-campeonato. Essa foi a única Copa América na época de Pelé. O time ainda contava com o goleiro Gylmar, e outros campeões do mundo, como Mauro, Djalma Santos, Bellini, Didi, Zagallo, Zito e Garrincha.

1959 – Campeonato Sul-Americano (no Equador)

Campeão: Uruguai
Brasil: terceiro colocado
Participantes: Argentina, Brasil, Equador, Paraguai e Uruguai

Em uma edição “extra” e menos badalada, o Brasil foi representado pela seleção pernambucana. Cinco seleções se enfrentaram entre si, e o Uruguai foi campeão com três vitórias e um empate. O Brasil venceu Paraguai e Equador, mas acabou derrotado para Argentina e Uruguai.

1963 – Campeonato Sul-Americano (na Bolívia)

Campeão: Bolívia
Brasil: quarto colocado
Participantes: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai

O torneio foi disputado na altitude de Cochabamba e La Paz. O Brasil foi representado por um time alternativo e teve sua pior participação no período, com derrotas para Argentina, Bolívia e Paraguai e um empate com o Equador.

1967 – Campeonato Sul-Americano (no Uruguai)

Campeão: Uruguai
Brasil: não participou
Participantes: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

Por divergências com a organização, o Brasil não participou da última Copa América no formato de todos contra todos, assim como o Peru. Chile, Colômbia, Equador e Paraguai se enfrentaram em uma fase preliminar. Chile e Paraguai se classificaram para se juntarem a Argentina, Bolívia, Uruguai e Venezuela.

Era Zico

1975 – Copa América (sem sede fixa)

Campeão: Peru
Brasil: terceiro colocado
Participantes: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela

Zico ainda não participou desse torneio, que serviu como uma espécie de transição de gerações. Raul, Nelinho, Dirceu Lopes e Reinaldo foram alguns dos que representaram o Brasil no torneio, que foi disputado com jogos em casa e fora. Na primeira fase, o Brasil se classificou com quatro vitórias contra Argentina e Venezuela. Na semifinal, o time foi eliminado com derrota de 3 a 1 para o Peru, no Mineirão, e vitória por 2 a 0, em Lima. Como marcou menos gols na casa do adversário, o time caiu diante do Peru, campeão daquele ano.

1979 – Copa América (sem sede fixa)

Campeão: Paraguai
Brasil: terceiro colocado
Participantes: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela

Foi a primeira Copa América de Zico. Time tinha Leão, Júnior, Oscar, Roberto Dinamite, Falcão e Sócrates. Na primeira fase, o Brasil venceu Bolívia e Argentina em casa, empatou com a Argentina fora e perdeu para a Bolívia em La Paz. Conseguiu a primeira posição da chave para enfrentar o Paraguai. Em Assunção, derrota por 2 a 1. No Maracanã, o empate por 2 a 2 tirou o Brasil da decisão. Expulso contra a Argentina na última rodada da primeira fase, em Buenos Aires, Zico não disputou a fase semifinal.

1983 – Copa América (sem sede fixa)

Campeão: Uruguai
Brasil: vice-campeão
Participantes: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela

Zico não participou do torneio em 1983 por estar jogando na Europa, mas ídolos de sua geração, como Sócrates, Leão, Renato Gaúcho, Roberto Dinamite e Júnior estiveram na equipe. Na primeira fase, a seleção venceu as duas partidas contra o Equador, empatou com a Argentina no Maracanã e perdeu em Buenos Aires, com gol do hoje técnico do Peru, Ricardo Gareca. Apesar do resultado negativo, se classificou, graças a dois empates dos argentinos contra os equatorianos. Na semifinal, o Brasil superou o Paraguai pelo gol fora de casa: empate em 1 a 1 em Assunção e empate sem gols em Uberlândia. Na decisão, contra o Uruguai, derrota por 2 a 0 em Montevidéu e empate por 1 a 1 na Fonte Nova.

1987 – Copa América (na Argentina)

Campeão: Uruguai
Brasil: Eliminado na primeira fase
Participantes: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela

A Copa América voltou a ter sede única em 1987 e o Brasil teve sua pior participação na história, com direito a goleada sofrida diante do Chile. Jogando em Córdoba, o Brasil venceu a Venezuela por 5 a 0, mas foi derrotado pelos chilenos por 4 a 0, ficando com a segunda colocação na chave e eliminação precoce. Time tinha Careca, Müller, Ricardo Rocha, Romário e Raí no elenco.