Confederações nacionais e entidades que comandam o futebol discutem diariamente uma reformulação no calendário

Torcedores.com

O futebol mundial é apenas mais um mercado afetado pela pandemia de coronavírus, mas é uma preocupação diária para seus organizadores, que tem de lidar com patrocínios, parcerias e muito dinheiro em jogo.

O dia 9 de abril é o 100º de 2020 e é simbólico porque mostra uma indefinição geral do que será o futebol nos próximos meses. Todas as competições de seleções foram adiadas para o ano que vem, ligas nacionais, copas continentais e o futebol olímpico também sofreram com a pandemia e estão em discussão.

Veja o que foi adiado, cancelado e o que está em discussão para 2020:

Copa América

A edição de 2020 seria utilizada pela Conmebol para equiparar o calendário de seleções, mas a pandemia de coronavírus frustrou os planos da entidade. A realização foi adiada e passada para 2021, assim como a Eurocopa, que seria neste ano e também passou para o ano que vem.

Eurocopa

A UEFA também teve problemas com a pandemia de coronavírus e rapidamente adiou a edição de 2020 da Eurocopa. Assim como a Conmebol, confirmou a competição para o ano que vem.

Futebol nas Olimpíadas

O futebol nos Jogos Olímpicos devem gerar a maior polêmica entre os adiamentos para 2021. Isso porque, desde o início do acordo entre FIFA e COI para o futebol nas Olimpíadas, apenas jogadores abaixo dos 23 anos podem participar do torneio olímpico. Entretanto o adiamento pode prejudicar jogadores que teriam idade em 2020 e não terão em 2021. A discussão foi aberta no mesmo dia que o comitê decidiu pelo adiamento dos Jogos e deve se estender durante 2020 e o início de 2021.

Campeonatos na Europa

Os campeonatos europeus são a maior preocupação da UEFA até o momento. Isso porque a maioria deles estavam em reta final e a disputa pelo título é acirrada em alguns países. Uma das principais federações europeias, a Bélgica, tomou a frente e decidiu terminar seu campeonato e dar o título ao atual líder, o Club Brugge. A UEFA espera um diálogo antes do martelo ser finalmente batido. A tendência é que outras federações tomem decisão semelhante, já que dificilmente o calendário permanecerá como o atual.

Brasileirão e Estaduais

O Brasileirão estaria prestes a começar, mas a CBF já adiou oficialmente o torneio até que a pandemia de coronavírus cesse no país. A tendência é que o campeonato seja encurtado de alguma maneira, mas nenhuma discussão formal foi aberta.

Quem deve sofrer medidas drásticas em 2020 são os Estaduais por todo o Brasil. A maioria deles estava do meio para o final, mas a falta de calendário no ano aponta para um cancelamento das competições. Alguns clubes e federações, porém, não querem e pretendem disputar o restante das rodadas.

Liga dos Campeões e Liga Europa

A Liga dos Campeões estava programada para terminar no dia 30 de maio e a Liga Europa terminaria três dias antes, mas nenhuma delas será realizada na data prevista. A UEFA vive um grande problema com seus principais produtos anuais, já que ambas estavam encaminhadas para o fim. A tendência é que as decisões invadam a próxima temporada.

Copa Libertadores e Copa Sul-Americana

A Conmebol programou as finais da Libertadores e da Sul-Americana para novembro e por enquanto não as adiou. A expectativa da entidade é que a pandemia cesse rapidamente e que as competições voltem à normalidade e sejam disputadas ainda em 2020. A falta de uma perspectiva para outras datas não é bem vista por algumas confederações nacionais.

Possíveis saídas

Um dos principais problemas são os campeonatos nacionais da Europa e alguns membros da UEFA já defenderam que o calendário seja anual, assim como é no Brasil, e que as competições terminem em dezembro e comecem no início de fevereiro. A tendência, porém, é que uma decisão só seja tomada com o fim da pandemia.

Na América do Sul a decisão é inversa. Principal liga nacional da Conmebol, o Brasil vive momento de indefinição e alguns apostam na volta do sistema de mata-mata, enquanto outros querem campeonato em turno único. Outros também pediram que o calendário se equipare ao europeu e atravesse de um ano a outro.