Por Tony Martins

No dia 31 de março de 1965, em plena vigência do regime militar, entrava para o rádio Raimundo Campos Silva, o popularíssimo Raimundo Amarildo, isso está comprovado por uma assinatura em sua carteira de trabalho, sendo registrado como sonoplasta da Rádio Juazeiro.

O regime militar durou 20 anos, mas Raimundo Amarildo ainda resiste ao tempo, pois, hoje completa 56 anos de atividade radiofônica. Tenho 30 anos de rádio, dos quais são 26, trabalhando ao lado de Amarildo.

Raimundo Amarildo entrevista o treinador Luiz Carlos, da Juazeirense, no Adauto Mores

Até a década de 1980 ele conciliou sua vida de radialista com a de treinador de futebol e até mesmo com a de dirigente de ligas amadoras em Juazeiro, fato que lhe rendeu a condição de cronista esportivo, atuando como repórter esportivo, comentarista e locutor-apresentador, tendo ainda trabalhado como colunista de esportes em um jornal impresso da cidade.

Nesses 56 anos de rádio, Raimundo Amarildo passou pela Rádio Juazeiro, Emissora Rural de Petrolina, Rádio Nova IND e Rádio Cidade AM de Juazeiro. onde apresenta o programa Giro Esportivo e trabalha como repórter de campo.

Amarildo trabalhou com os principais radialistas da região: Carlos Augusto, Francisco Silva (Foguinho), Franklin Delano, Augusto Morais, José Raimundo Neves, Seu Galo, Edmundo Rasteli, Ronaldo Lopes, Clésio Rômulo Athanásio, José Raimundo Neves e Osvaldo Benevides, infelizmente, todos já falecidos. Também convive e/ou conviveu profissionalmente com Geraldo José, Geraldo Messias, Charles Gray, Winston Monte Claro, Bráulio Pereira, Nilton Ferreira, Giunivan Barbosa, Herbet Mouze e Marilene Silva, todos esses da Rádio Juazeiro.

Seus companheiros atuais, entre os quais estou incluso, são Marcos Bastos, Carlito Almeida, Vianey Felix, Pedro Henrique, Silvano Luna, Leane Aline, Valtermário Pimentel, Margarida Benevides, Jean Rego, Sérgio Rêgo, Danilo Ribeiro, Fernando Oliveira e Carlos Humberto, seu parceiro de Panorama Esportivo, que foi seu jogador e, também, o contratou para ser treinador da equipe do Barro Vermelho na década de 1980.

Menciono esse elenco de profissionais do rádio sanfranciscano para demonstrar a importância de Raimundo Amarildo, que é o profissional em atuação com mais tempo no rádio. As expressões “de prima”, “evidentemente”, “graveto pequeno é quem derruba panela”, ” Zé de liseu”, embora não sejam suas criações, estão marcadas no repertório desse radialista e que se tornaram intimas aos ouvidos de seus ouvintes.