Ações da Sala do Empreendedor crescem no Norte da Bahia

0
154

Ações da Sala do Empreendedor crescem no Norte da Bahia

Encontro de alinhamento realizado online reuniu agentes dos Territórios do Sertão do São Francisco e Itaparica

Por Carlos Humberto

Agentes da Sala do Empreendedor dos Territórios do Sertão do São Francisco e Itaparica, que abrange 16 municípios do Norte da Bahia, participaram de um encontro virtual com a presença de representantes de Juazeiro, Sobradinho, Remanso, Curaçá, Uauá e Paulo Afonso, na última quarta-feira (6).

Alinhamentos e novidades para a Sala do Empreendedor em 2024 foram apresentados durante a reunião considerada bastante produtiva e um instrumento fantástico de apoio, pois favorece a troca de ideias e experiências, fundamentais para o desenvolvimento econômico da região e o crescimento da importante ferramenta.

A Sala do Empreendedor é uma construção do Sebrae, através da Unidade de Ambiente de Negócios, Unidade de Atendimento Individual e das unidades regionais, que funciona como um agente transformador promovendo o desenvolvimento local com pessoas preparadas e qualificadas para pensar diferente, com criatividade e inovação, apoiando o empreendedorismo local.

Para Laércia Santana, analista técnica do Sebrae e Gestora Estadual do projeto, “a ideia primordial é valorizar cada vez mais esse importante espaço criado pelo Sebrae, levando capacitações e estratégias que facilitem o empoderamento desse braço de apoio criado para promover e facilitar o desenvolvimento da economia local”, avalia.

Segundo Edlan Amaral, gestor do Sebrae em Juazeiro e interlocutor da Sala do Empreendedor no Território do Sertão do São Francisco, criatividade e inovação são objetivos importantes que se conquistam nesses espaços, quando ocupados por atendentes qualificados. “O Sebrae, a cada ano, busca valorizar cada vez mais, construindo um ambiente de negócios dentro do nosso território mais propício para o empreendedor, seja ele do setor urbano ou do campo, prestando atendimento ao MEI (Microempreendedor Individual) e ao produtor rural”, conclui Amaral.