Por: Maria Akemi – Foto: Tiago Caldas/CNC

A vitória do Náutico por 3×1 contra o Botafogo pela Série B do Campeonato Brasileiro, no domingo (20) ainda repercute. E não pelo ocorrido dentro de campo. Mas sim, pela atitude dos dirigentes do Timbu.

A imprensa local flagrou a “mordomia” aos “torcedores”: comes e bebes e aglomeração na área VIP dos Aflitos. Entretanto, a situação não passou despercebida pela arbitragem.

Em síntese, o árbitro Wanderson Alves de Sousa (PB) relatou o comportamento dos cartolas. “Diretores voltaram a protestar contra a arbitragem com palavras e gestos, sendo ouvido “você é muito aparecido, quer aparecer para a globo é? nós estamos credenciados e podemos fazer o que quisermos aqui, seu babaca”. solicitei ao delegado que aqueles diretores da equipe do náutico fossem retirados e não permanecessem na arquibancada para o segundo tempo. solicitação atendida pelo delegado sr. Fábio Barbosa”, destacou na súmula.

A repercussão negativa levou o Náutico a emitir uma nota. “O Náutico reafirma sua observância aos protocolos da CBF, respeitando o número de pessoas credenciadas presentes, durante a partida, desde dirigentes, staff do futebol e apoio à realização da partida, todos testados e cuja presença foi autorizada pela Federação Pernambucana de Futebol (FPF). Aproveitamos para externar nossa estranheza com relação à queixa do árbitro, em virtude da manifestação de alguns dos dirigentes que, evidentemente, torcem pelo clube. A mesma atitude foi observada do lado da equipe carioca. Preferimos não acreditar se tratar de um caso de mero preconceito contra o futebol nordestino. Em todo caso, para atendimento à demanda apresentada pelo juiz, dividimos o grupo em locais diferentes das sociais. Cientes – por também disputarmos jogos em outros estádios – que, mesmo cumpridas as regras relativas ao credenciamento e demais normas, a expressão verbal de dirigentes, autoridades, atletas, técnicos e juízes serão sempre mais facilmente perceptíveis em estádios vazios. Temos convicção de que o consumo de alimentos não acontece apenas nos Aflitos, por não ser proibido pela CBF. Caso passe a integrar uma lista de restrições, em todo o país, vamos seguir a recomendação. Alimentar-se não compromete a realização da partida”, afirmou o clube.