Por Jota Jota
Jota Jota

Assim como em todas as outras partidas, mais uma vez o Bahia começou o seu jogo diante do Bragantino LETARGICAMENTE, dando a todos a impressão de terem tomado soníferos, pois todos, eu disse todos os jogadores, estavam com uma lentidão e desatenção monstruosa e em menos de 10 minutos, o Bragantino, que estava na zona de rebaixamento, fez dois gols e dominou o Bahia, que como se o Homem de Aço, tivesse sob efeito de kriptonita, que o levara a ouvir a contagem do juiz, e o terceiro tento, veio em jogada de racha, quando o time reserva leva um baile.

Mano Menezes comanda o Bahia na derrota para o Bragantino em 20.nov.2020 (Foto: Rafael Machaddo/ECB)

Por mais que gritasse à beira do gramado, Mano Menezes não conseguiu acordar a rapaziada. Mesmo com as substituições na etapa final, o Bahia não produziu, estava nocauteado em pé no seu próprio corner. Irreconhecível, o time do Bahia. E agora? Tudo cai na conta de Mano, tal como entrou na de Roger Machado, com um elenco que está com prazo de validade vencido?

De há muito venho escrevendo que o treinador do Bahia tem pequena porcentagem de culta das muitas que tem seus jogadores, pois em cada jogo, observamos falhas imperdoáveis, que permitiram os donos da casa atuarem sem serem molestados, e como se estivessem realizando um treinamento de luxo, e como os reforços prometidos não foram contratados, não se espantem, se Mano anoitecer e Menezes não amanhecer à frente do time tricolor.

Foi um SAPECA IAIÁ, de responsa, para ser esquecido, o mais rapidamente possível pelo torcedor.

#PRONTOFALEI.

*O texto é de responsabilidade do autor e não representa a opinião do Agência CH.