Bahia vence na Sul-americana e dá a volta por cima

Falôôô… A opinião de Jota Jota

Jota Jota

Não existe mal que perdure, e esta frase fora concretizada pelo time do Bahia, em sua estreia na Copa Sul Americana, ao bater na Arena Fonte Nova o Guarani do Paraguai, no primeiro jogo. Os comandados de Roger Machado fizeram o dever de casa, e diga-se muito bem feito, fazendo 3 a 0, resultado que acomoda o jogo de volta. O mais importante da partida foi a recuperação do time, que voltou a vencer, trazendo de volta a confiança, pois realizaram uma apresentação que amenizou as duas dores do torcedor sofridas em menos de 15 dias.

O começo foi um pouco claudicante, com os jogadores do tricolor permitindo que o Nacional do Paraguai equilibrasse a partida, mas as modificações feitas por Roger Machado surtiram efeito e, depois dos 15 minutos, só deu Bahia. O elenco reencontrou o conjunto, pode repetir as rápidas jogadas, e o placar de 3 a 0 não refletiu tudo que o time jogou. Das arquibancadas, os torcedores, em número menor do que o habitual, só sorrisos e comentários positivos, pelo que puderam observar e, quem não foi, perdeu um bom espetáculo.

Dissemos aqui que os tropeços, os jogos perdidos, a má fase desde outubro, não perdurariam por muito mais tempo, e o Bahia parece que começa a reencontrar o seu bom futebol. É preciso dar tranquilidade aos jogadores e comissão técnica, para que o trabalho continue fluindo. A mas o time do Nacional é fraco, ruim, e não ofereceu resistência, imaginem então se o Bahia perdesse, ou não colocasse uma vantagem legal para o jogo de volta, as cornetagens seriam ainda maiores e mais duras.

Na reapresentação, podem observar pelas lentes dos cinegrafistas, de que os semblantes dos atletas, estará totalmente diferente de dias anteriores, que o sorriso voltou a aparecer na cidade tricolor. Olhem, mas toda recuperação, tem um senão, todos os dias (jogos), não serão iguais, mas não tão debilitados, como os anteriores, agora é olhar para frente e seguir subindo, e alcançar o mais rapidamente possível, o céu de brigadeiro.

Quando afirmei aqui, que não era hora do torcedor abandonar o time do Bahia, alguns me contestaram nas redes sociais e no meu zap, apenas respeitei as opiniões, argumentando de que o treinador Roger Machado não é ruim, o preparador físico Paulo Paixão é de seleção, e o elenco, montado dentro do orçamento, fará a inversão de valores, começando mal, para acabar bem, ao contrário de 2019, quando faltou fôlego na reta final, mas coloquem na conta, alguns acidentes de percurso, que também é normal.

Parabenizar os pouco mais de 15 mil torcedores que estiveram na Arena Fonte Nova, e que ajudou a equipe a vencer seu oponente, dando confiança aos seus jogadores, levanto a estima dos mesmos, que corresponderam em campo, e aí, o amor voltou a ser lindo, mesmo estando abaixo dos 23/25 mil de outros jogos, só perdeu quem não foi. “SACUDIRAM A POEIRA E DERAM A VOLTA POR CIMA” (crédito a Noite Ilustrada, in memorian, sambista brasileiro).

#PRONTOFALEI