Falôôô... A opinião de Jota Jota
Jota Jota

Estando a apenas 16 dias para a abertura do certame baiano de 2021, os chamados pequenos clubes do interior da Bahia estão acelerando seus passos, com relação à estruturação de seus elencos, visando realizarem uma boa competição e sem atropelos de última hora. O campeonato repete o mesmo formato dos anos anteriores, ou seja, apenas um clube será rebaixado, e com jogos apenas de ida na fase primeira.

Dos dez inscritos, teremos três clubes empresas, e/ou de empresas: Doce Mel, que já enfrenta problemas com o estádio em Ipiaú; o Bahia de Feira, um pouco mais estruturado, haja vista está mais tempo na estrada, com organograma pronto; e o caçulinha da turma, o UNIRB, que vem da série B.

Sem muito tempo para jogos treinos, as agremiações vão se virando como podem, improvisando atividades com times amadores e até mesmo entre si, caso deste domingo, quando Bahia de Feira e Unirb, se digladiarão na Arena Cajueiro, no CLÁSSICO DAS FACULDADES. Pouco se sabe dos dois times, um pouco mais do feirense, que manteve sua base, procurando se reforçar, enquanto o Unirb, que vem se preparando há mais de dois anos, espera surpreender e a partir do dia 21, começaremos a saber quem é o mais letrado em campo.

A Juazeirense tem administração característica própria. Por ser cria do Deputado Roberto Carlos, é chamada de time de dono, e abriga no seu corpo diretivo familiares e amigos desde a sua fundação. Independente do modelo administrativo, os resultados alcançados pelo Cancão de Fogo nos seus poucos anos de existência são positivos, embora o tão sonhado título ainda falte na prateleira de conquistas. Como acontece sempre, a preparação segue o planejamento traçado pela diretoria e aos poucos o elenco vai sendo formado para a temporada 2021.

Com a pandemia, quando a vida de todos virou de cabeça para baixo, não foi nada diferente com os clubes de futebol, principalmente aqueles que vivem das prefeituras e pequenos patrocínios. Estão todos, eu disse todos, tirando leite de pedra, mas a paixão os mantém vivos, apesar das constantes mazelas da FBF.

O certame vem com uma incógnita gigantesca, e só após o seu início, é que vamos saber quem vai ter o saco cheio de farinha para negociar na feira da bola.

#PRONTOFALEI.

(O texto é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Agência CH)