Exigências da FIFA levaram CBF a anunciar desistência 

Texto: Maria Akemi - Foto: CBF/Divulgação

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou na segunda-feira (8) sua desistência na briga por sediar a Copa do Mundo de 2023. Colômbia, Japão e a candidatura conjunta da Austrália e Nova Zelândia permanecem na disputa do mundial feminino.

Segundo a CBF, o motivo da desistência foi a falta de garantias do Governo Federal. A União optou por não assinar as garantias solicitadas pela FIFA, mas garantiu que toda a estrutura física dos estádios está apta.

Fora da briga, o Brasil agora apoia a Colômbia que tenta ser a primeira nação sul-americana a sediar o Mundial Feminino. O resultado será divulgado no próximo dia 25/06.

Comentário meu: apesar de termos toda a estrutura necessária com os estádios da Copa de 2014 podendo ser utilizados, não é a hora de gastar sem necessidade. O Brasil ainda enfrenta uma forte crise na saúde pública e também na economia.

O Governo Federal acerta em recursar as exigências da FIFA. Seria um divisor de águas para o futebol nacional sediar a Copa? Com certeza! Mas não faltará oportunidade ao Brasil no futuro.