Da Redação - por Carlos Humberto

O Brasil fez história na disputa dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, no Japão. Com 72 medalhas conquistadas, entre elas o recorde de 22 de ouro, os atletas brasileiros terminaram em 7º lugar, consagrando o slogan “espírito em movimento” da competição, criado nos Jogos de Atenas, provando a evolução e renovação dos atletas ao longo dos anos.

O resultado igualou a posição de Londres 2012, com 21 ouros, e o número total de pódios da Rio 2016, mas a conquista de mais medalhas de ouro no Japão, 22, supera qualquer edição dos Jogos.

A delegação brasileira em Tóquio, composta por 258 atletas, mostrou diversidade de talentos esportivos, ao subir ao pódio em 14 das 46 modalidades disputadas, e alcançou a marca de 109 medalhas de ouro conquistadas em Paralimpíadas.

Resumo das medalhas conquistadas em Tóquio

  • Atletismo – 28 (8 ouros, 9 pratas e 11 bronzes)
  • Natação – 23 (8 ouros, 5 pratas e 10 bronzes)
  • Canoagem – 3 (1 ouro e 2 pratas)
  • Judô – 3 (1 ouro e 2 bronzes)
  • Halterofilismo 1 (ouro)
  • Taekowndo – 3 (1 ouro, 1 prata e 1 bronze)
  • Futebol de 5 – 1 (ouro)
  • Goalball – 1 (ouro)
  • Tênis de mesa – 3 (1 prata e 2 bronzes)
  • Bocha – 2 (bronzes)
  • Esgrima – 1 (prata)
  • Hipismo – 1 (prata)
  • Remo – 1 (bronze)
  • Vôlei sentado – 1 (bronze)

Pela quinta edição seguida, a China foi a grande vencedora ao conquistar 207 medalhas no total, sendo 96 de ouro, 60 de prata e 51 de bronze).

A Grã-bretanha, Estados Unidos, Comitê Paralímpico Russo e Holanda fecharam o top 5.

Os Jogos de Tóquio 2020, disputados em 2021, se encerraram na manhã deste domingo (horário de Brasília).

(com informações do GE)