Adversário da semifinal sai do confronto Venezuela versus Argentina nesta sexta-feira

Por Carlos Humberto
Alisson e Gabriel Jesus brilharam na cobrança de pênaltis (Foto: Juan Mabromata/AFP/Gazeta Press)

Mais uma vez foi nos pênaltis, como aconteceu em 2011 e 2015. Só que, desta vez, a seleção brasileira escreveu de forma diferente a história dos últimos confrontos com a seleção paraguaia, ao eliminar nos pênaltis o algoz do time canarinho nas duas últimas edições da Copa América.

No tempo normal, sem balançar as redes, o placar se manteve em 0 a 0, levando a decisão para as penalidades e o Brasil venceu por 4 a 3, assegurando uma vaga na fase semifinal contra o vencedor de Venezuela e Argentina, que jogam nesta sexta-feira no Maracanã.

O Paraguai perdeu duas penalidades: Alisson defendeu cobrança de Gustavo Gómez e Derlis Gonzalez chutou para fora. Pelo time brasileiro, Roberto Firmino também chutou para fora a sua tentativa e Gabriel fechou as cobranças marcando o gol da vitória em 4 a 3.

Para aqueles que esperavam que o Brasil reeditasse a goleada sobre o Peru na última partida da fase de grupos, na goleada por 5 a 0, a frustração foi grande. Diante de um adversário que explicitamente abdicou de tomar a iniciativa do jogo e esperar um lance fortuito para dar o tiro certeiro e mortal, o time nacional mostrou falta de talento para derrubar a muralha armada pelo técnico Eduardo Berizzo.

Se na primeira etapa a bola pouco rondou a meta paraguaia, na segunda, com um jogador a menos em campo – Balbuena ganhou cartão vermelho –, a pressão brasileira em busca do gol se tornou cada vez mais constante e perigosa, e o goleiro Gatito Fernandez brilhou intensamente, mantendo sua meta invicta até o apito final.

O grito de gol chegou a ficar entalado na garganta aos 44 minutos, quando William acertou a trave paraguaia, com o excelente goleiro vencido.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 0 (4) X 0 (3) PARAGUAI

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Data: 27 de junho (quinta-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Claudio Rios (Chile)
VAR: Julio Bascuñan (CHI) auxiliado por Piero Maza (CHI) e Nicolas Tarán (URU).
Renda: R$ 10.352.430
Público Total: 48.211
Cartão amarelo: Filipe Luís, Roberto Firmino e Arthur (Brasil); Arzamendia, Piris e Alonso (Paraguai)
Cartão vermelho: Balbuena (Paraguai)

BRASIL: Alisson, Daniel Alves (Lucas Paquetá), Thiago Silva, Marquinhos e Filipe Luís (Alex Sandro); Arthur, Allan (Willian) e Philippe Coutinho; Everton, Gabriel Jesus e Roberto Firmino. Técnico: Tite

PARAGUAI: Gatito Fernández, Iván Piris, Balbuena, Gustavo Gómez e Alonso; Richard Sánchez (Escobar), Ortiz, Pérez (Rodrigo Rojas) e Arzamendia (Valdez), Almirón e Derlis González. Técnico: Eduardo Berizzo