Confronto acontece no Mineirão, nesta terça-feira 2, às 21h30

Por Carlos Humberto

Considerado por muitos o melhor clássico entre seleções de futebol em todo o planeta, Brasil e Argentina decidem nesta terça-feira 2, no Mineirão, palco da vexatória derrota brasileira para a Alemanha na Copa do Mundo de 2014, por 7 a 1, quem vai para o Maracanã enfrentar o vencedor de Chile e Peru na conclusão da 46ª edição da Copa América.

Messi e Alisson (Fotos: Getty Images)

Embora as duas seleções não apresentem no momento o futebol cobrado por suas torcidas, o encontro antecipa o que poderia ter sido o jogo final, não fosse o tropeço inicial dos argentinos, que os levaram a passar de fase ocupando o segundo lugar do grupo B.

De acordo com os números revelados pela Fifa, as duas seleções, juntas, somam sete títulos mundiais, e já se enfrentaram 105 vezes. No confronto direto, os pentacampeões alcançaram 41 vitórias contra 38 dos argentinos, tendo 26 jogos terminados empatados.

O equilíbrio é evidente e o palpite para o vencedor fica por conta da cor da camisa que se veste. Se o Brasil tem a vantagem de atuar em casa, e tem em seu elenco melhores jogadores, do outro lado, a Argentina tem Messi, cinco vezes eleito o melhor do mundo.

Tite e Scaloni (Fotos: Getty Image)

Na coletiva que precede aos jogos, apesar de não ter revelado a equipe titular, o time de Tite deverá ter o volante Casemiro de volta, após cumprir suspensão por cartão amarelo, e o lateral esquerdo Alex Sandro em lugar de Filipe Luis, que não se recuperou de um incômodo muscular.

Do lado argentino, o técnico Lionel Scaloni, acusado pela imprensa do seu país de falta de comando, afirmou durante a entrevista oficial, em tom humorado: “Só garanto o Agüero, do resto ninguém. Nem Messi!”

Times prováveis

Brasil: Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Phillippe Coutinho; Gabriel Jesus, Firmino e Everton. Técnico: Tite

Argentina: Franco Armani, Juan Foyth, German Pezzela, Nicolás Otamendi, Nicolás Tagliafico, Rodrigo De Paul, Leandro Paredes, Marcos Acuña, Lionel Messi, Sergio Agüero, Lautaro Martínez. Técnico: Lionel Scaloni.