Da Redação – por Carlos Humberto
Neymar e Raphinha Foto Lucas Figueiredo-CBF-Divulgação

Em atuação de gala, que fez lembrar os melhores momentos do futebol pentacampeão do mundo, a Seleção Brasileira venceu o Uruguai na Arena da Amazônia, por 4 a 1 nesta quinta-feira, e encaminhou sua classificação para a Copa do Mundo de 2022 no Catar.

Além da bela vitória, a partida marcou o reencontro do time canarinho com sua torcida, ausente dos estádios há dois anos por conta das medidas restritivas impostas pela pandemia.

Neymar, Raphinha, duas vezes, e Gabigol marcaram os gols brasileiros, enquanto Luís Suárez, cobrando falta com perfeição, diminuiu para o Uruguai.

O que mudou na Seleção

Além das mudanças na escalação, não faltou atitude e iniciativa. Criticada pelas últimas apresentações, a equipe reagiu diante de um dos adversários mais conceituados da América do Sul, e voltou a apresentar uma defesa segura, um meio de campo compacto e criativo no ataque, com destaque para Fred como meia de armação. No ataque, Paquetá e Raphinha, pareciam inspirados nos ponteiros que brilharam com a camisa canarinho no passado para abrir a defesa uruguaia; e Neymar, sem abdicar do seu imenso talento, foi menos individualista. Soube ser coletivo e servir seus companheiros, além de chegar na área com frequência. O placar de 4 a 1 foi excelente, mas não fosse a atuação magistral do goleiro Muslera, poderia ser maior.

O Brasil encerra as Datas Fifa de outubro com 31 pontos, líder absoluto das Eliminatórias, mas não matematicamente classificado, o que deverá acontecer nos jogos de novembro.

FICHA TÉCNICA
Brasil 4×1 Uruguai
Eliminatórias Sul-Americanas – 12ª rodada
Data: 14 de outubro de 2021 (quinta-feira)
Local: Arena da Amazônia (Manaus-AM)
Horário: 21h30
Arbitragem: Fernando Rapallin, Juan P. Bellati e Diego Bonfa, todos da Argentina
Gols Brasil: Neymar, aos 10; Raphinha, aos 18’ do 1º tempo e aos 12’; e Gabigol, aos 39’ do 2º tempo.
Gol do Uruguai: Luis Suárez, aos 31’ do 2º tempo

Brasil: Ederson; Emerson, Lucas Veríssimo, Thiago Silva e Alex Sandro; Fabinho (Douglas Luiz), Fred (Edenilson), Lucas Paquetá (Antony) e Neymar; Raphinha (Everton Ribeiro) e Gabriel Jesus (Gabigol). Técnico: Tite

Uruguai: Muslera; Nández (Cáceres), Coates, Godin e Viña (Piquerez); Vecino (Facundo Torres), Valverde, Betancur (Gorriáran) e De La Cruz (Torreira); Cavani e Luis Suarez. Técnico: Óscar Tabárez