Carnaval chega aos serviços da Atenção Básica e Especializada de Juazeiro

Débora Sousa/SESAU

A festa momesca já chegou aos serviços de saúde da rede de Atenção Básica e Especializada em Juazeiro e durante os atendimentos, os usuários puderam brincar e se divertir usando fantasias e ao som de muita marchinha revivendo os antigos carnavais. Tiveram dias diferenciados os pacientes atendidos no Centro Regional de Prevenção, Reabilitação e Inclusão Social (CERPRIS), Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF) e na Academia da Saúde (Orla 2).

Nos três centros de assistência à saúde, os usuários tiveram dias de muita movimentação e de festa durante os seus atendimentos. No CERPRIS os pacientes neurológicos se fantasiaram, teve muito confete e serpentina, muita som de marchinha além de lanche oferecido aos pacientes e responsáveis. Essa mesma alegria foi repassada nos postos de saúde do João XXIII, CSU, Dom Thomaz, Alto do Cruzeiro, Alto do Alencar, Alto da Aliança, Dom José Rodrigues, Residencial São Francisco, Pedro Raimundo, João Paulo II, Antônio Guilhermino e Parque Residencial, estes estão sendo realizados desde a última terça-feira (04).

Estes usuários são atendidos pelo professor de educação física Nivaldo Mendes que relata a importância de incorporar às datas comemorativas aos serviços aplicados no município. “É um momento de muita alegria, resgatar o carnaval antigo com marchinhas carnavalescas que marcaram muitas gerações. Reviver esta data fantasiada, com muita alegria é de uma importância fundamental para o bem estar físico e mental dos usuários. Vivemos este carnaval em todas as unidades de saúde que atuo dentro do NASF e vamos continuar trabalhando assim, com muita alegria e leveza”, descreveu Mendes.

Outra unidade de atenção à saúde que entra na onda das datas comemorativas para atender o público é a Academia da Saúde, entre aulas de funcional, ginástica aeróbica com dança, os usuários coloriram a unidade com muita fantasia e diversão. De acordo com a Secretária de Saúde, Fabíola Ribeiro é importante trabalhar com essas temáticas que descontraem os pacientes, em especial durante períodos festivos. “Esses eventos inclusivos realizados por nossos profissionais em suas unidades de atendimentos, são momentos importantes de inclusão e de descontração. A unidade de assistência à saúde não é referência só para medicar e/ou tratar, são também para proporcionar bem estar ao paciente”, pontuou Fabíola.