Carnaval de Juazeiro 2020 foi avaliado como o mais eficiente nos últimos anos, garantem órgãos de segurança

Irislane Pacheco/PMJ

Nesta terça-feira (11), a Prefeitura de Juazeiro e os órgãos de segurança que atuaram no Carnaval de Juazeiro, realizaram uma coletiva de imprensa para apresentar um balanço sobre os três dias de folia. Representantes das Polícias Militar, Civil e Técnica e Corpo de Bombeiros foram unânimes em afirmar que, do ponto de vista da segurança, esse foi o carnaval mais eficiente dos últimos anos.

O Coordenador do Carnaval, Samuel Morais, ressaltou a importância do diálogo com as forças de segurança, além da estrutura que a Prefeitura ofereceu. “Reforçamos a iluminação no circuito e nas ruas de acesso aos locais da festa. Além disso, a Guarda Municipal foi peça importante, tanto com o efetivo na rua quanto no auxílio com o videomonitoramento para subsidiar as forças de segurança. Foi um sucesso, em todos os aspectos, e a voz das ruas é o nosso melhor feedback”.

O Major Andrade, responsável pelo balanço da PM, informou que 1.853 policiais militares foram empregados diretamente no circuito ao longo dos três dias. Sobre as estatísticas, no Carnaval 2020 foram realizadas 51 ocorrências e em 2019 foram 21. “Esse aumento de ocorrências não refletiu em aumento de violência, pelo contrário, só demonstra a eficiência da nossa corporação. Este ano tivemos 16 apreensões de armas brancas no circuito, no ano passado foram apenas quatro”, ressaltou.

A delegada Lígia Nunes, Coordenadora Regional da Polícia Civil (17ª COOORPIN), parabenizou todos os órgãos envolvidos e enalteceu que o sucesso de realizar um carnaval sem ocorrências graves foi o resultado da união de todos os órgãos. “Todas as forças atuaram de forma harmônica e isso foi fundamental”, destacou.

Para o Coronel Anselmo Bispo, Comandante do Comando de Policiamento Regional Norte (CPRN), o sentimento é de dever cumprido. “Estou muito orgulhoso com o trabalho desempenhado pela minha corporação. É preciso salientar que não houve registro de nenhum homicídio, nem no circuito, nem na cidade, durante o Carnaval”.