O grupo vai apresentar a cena ‘Notícias do dilúvio – um canto a Canudos’ neste domingo (30), às 19h

A encruzilhada é o espaço/tempo de toda possibilidade, onde as referências se encontram, se atravessam, se misturam, se espalham. Potência ancestral do cosmoencantamento, tece a ligação entre as existências: que foram, que são e que serão. É na encruzilhada que deitamos nossa esteira e sentamos o chão do nosso pertencimento, e partilhamos as nossas experiências, brindamos os nossos saberes, louvamos os nossos sentidos, renovamos o nosso axé.

É por isso que, quando o projeto Cena agora, realizado pelo Núcleo de Artes Cênicas do Itaú Cultural, apresentou o tema “Encruzilhada Nordeste(s): (contra)narrativas poéticas” não deixou escapatória. O convite era para assentarmos sobre a esteira dos 13 anos da Cia Biruta, os caminhos dos encontros com as ancestralidades que amparam e promovem as narrativas poéticas de um grupo que cria o sentido da sua própria existência nos afetos, atravessamentos e vivências.

Com duas mulheres em cena e a Encruzilhada Nordeste(s) como provocação, a ação cênica vai à fonte de uma das mais importantes experiências de resistência popular do Brasil: a Terra Santa do Beato Santo Antônio, nomeada Belo Monte. É de lá que as vozes de Maria Rita, Maria da Guerra, Macotas, Benta e tantas outras anônimas lutadoras no Massacre de Canudos submergem em oração, rememoração e alucinação à superfície pandêmica de um país massacrado por tantos genocídios.

“Notícias do Dilúvio – um canto a Canudos” é o nome da cena gatilho e as duas personagens da trama, Das Dores e Dos Anjos, reúnem as vozes-mulheres do Belo Monte e as práticas culturais populares que resistem a tantas tentativas de apagamentos, a fim de atualizar, contar e cantar o lugar em que se forma o silêncio que luta e afronta o esquecimento. É nessa encruzilhada que a Cia Biruta louva as ancestralidades teatrais, políticas e espirituais, enquanto tece mais um passo na construção do seu próprio cosmoencantamento.

A cena será apresentada neste domingo (30), às 19h, no encerramento da programação do Palco Virtual montado pelo Itaú Cultural para apresentações teatrais de até 15 minutos realizadas por artistas e grupos de todo o país, que aceitaram o desafio de abordar identidades nordestinas plurais. As quatro sessões desta semana serão realizadas nos dias 27, 28, 29 (às 20h) e 30 de maio (às 19h), com a participação de Jéssica Teixeira e Coletiva Teatral Es Tetetas; Pandêmica Coletivo Temporário de Criação e Silvero Pereira; Cia. Pão Doce e Maicyra Leão; Cia. de Artes Fiasco e Cia. Biruta de Teatro. As reservas de ingressos são feitas pela plataforma Sympla/Zoom, com limite de 270 ingressos por dia.

Saiba mais em https://www.itaucultural.org.br/secoes/agenda-cultural/cena-agora-conclui-ciclo#programacao.

Texto: Luis Osete Ribeiro Carvalho