Superesportes

O futebol brasileiro entra na terceira semana de paralisação devido à pandemia do coronavírus e ainda sem qualquer perspectiva de retorno dos campeonatos. Situação que preocupa os clubes grandes e principalmente os intermediários e pequenos. Alguns desses, disputam apenas os campeonatos estaduais e por isso contam com a maioria dos jogadores com contratos se encerrando até o final de abril. Para pressionar a CBF e as federações locais a arrumarem alguma solução, muitas agremiações decidiram juntar forças.

Após reunião com clubes da Série C, vice do Santa Cruz garante auxílio financeiro da CBF
Liderados pelo presidente do Salgueiro, José Guilherme, e do Barbalha-CE, Lúcio Barão, foi criado um grupo de discussão que já conta com cerca de 250 integrantes. Segundo José Guilherme, a ideia é que, em conjunto, esses clubes elaborem um documento exigindo um posicionamento.

Seja em busca de uma ajuda financeira ou para a definição sobre as competições. Vale lembrar que, em Pernambuco, os sete clubes do interior já entregaram à Federação Pernambucana um ofício em que pedem o encerramento do Estadual. Algo, de antemão, descartado pelo presidente Evandro Carvalho.

“Todos os clubes brasileiros estão preocupados com essa situação, mesmos os mais ricos. Agora imagine os do interior. Eu não acredito que até o final de maio teremos futebol e temos clubes que só têm calendário até abril. É preciso se preocupar com esses clubes. Não podemos fugir desse debate. Estamos juntando todas as sugestões para fazer um documento à nível nacional para ser enviado à CBF e as demais autoridades. Nesse grupo temos presidentes de clubes do Acre, de São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Piauí, Maranhão e cada local tem sua característica e seu problema”, explicou José Guilherme.

“Toda atividade econômica está recebendo uma atenção. E o futebol é uma atividade econômica fortíssima no Brasil e até agora ninguém se manifestou sobre isso. Só parou e pronto. Vamos tentar criar uma comissão e juntar as sugestões para criar um documento a nível nacional e a partir daí procurar CBF,  deputados, ministro ou ou mesmo o presidente. Nós precisamos da ajuda de todo mundo. Esses clubes vão ficar parados em abril, maio e vão viver de que?”, completou.

Procurado pelo Diario de Pernambuco, o presidente da Federação Pernambucana, Evandro Carvalho, voltou a garantir o retorno do campeonato estadual, mesmo ainda sem definição de data. Segundo ele, em uma visão otimista, as competições poderiam voltar em junho.

“A possibilidade de ser dado o Campeonato Pernambucano por encerrado é zero. É algo concreto dentro da CBF que é prioridade número um os estaduais, que são competições classificatórias, serem retomados. Dos sete clubes do interior que disputam o Pernambucano, alguns já possuem calendário após o estadual com a Série D (Salgueiro, Central e Afogados). Os demais (Retrô, Vitória, Petrolina e Decisão), se for o caso, podem jogar com a base”, pontuou.

“Por enquanto não temos nenhuma previsão (para a volta das competições). Na melhor das hipóteses, acredito que com mais 45 dias”, finalizou.