Por Tony Martins

O ano de 2021, deixou um gostinho de quero mais no paladar do Cancão de Fogo, isso porque, excetuando a Copa do Brasil, em que a equipe esteve bem, eliminando Sport de Recife, Volta Redonda e Cruzeiro, sendo eliminado pelo Santos no saldo de gols, a equipe deixou a desejar nas outras competições que disputou.

A Juazeirense foi eliminada pelo Atlético de Alagoinhas na semifinal do Campeonato Baiano, sofreu uma desclassificação jogando em casa no primeiro mata-mata da Série D, quando caiu nas disputas de pênaltis diante do Atlético Cearense, tendo ainda outro revés ao ser goleada pelo Ferroviário do Ceará nas eliminatórias da Copa do Nordeste.

Para 2022, entendemos que haverá um conflito de ideias entre os dirigentes da Sociedade Desportiva Juazeirense e o técnico Francisco Diá, uma vez que, em toda sua existência o clube baiano nunca trabalhou com jogadores jovens, enquanto o novo treinador já revelou em entrevistas em emissoras de rádio locais que pretende colocar jogadores jovens para compor o elenco o ano que vem.

Caso os dirigentes comunguem com o pensamento de Francisco Diá, será uma mudança radical na política do clube e um avanço para as pretensões da Juazeirense que buscará a conquista do Campeonato Baiano, o acesso à Série C, além de voltar a fazer uma boa Campanha na Copa do Brasil, necessitando, portanto, de um elenco que se apresente com força na reta final de cada competição que disputará, coisa que faltou esse ano.