Texto e fotos: Maria Akemi

O jogo treino marcado para a tarde desse sábado (16) no Estádio Paulo Coelho, em Petrolina tinha como objetivo proporcionar aos treinadores Carlos Rabello, da Juazeirense e Neco, da Fera Sertaneja, fazer uma avaliação do elenco.

Os dois comandantes foram anunciados pelas diretorias nessa semana e assumem as equipes com a missão de livrar Juazeirense e Petrolina da degola nos estaduais. Mas o propósito do jogo treino se perdeu nos primeiros minutos da partida.

Gol e briga generalizada

A Fera Sertaneja marcou um gol com Magno após boa jogada de ataque, mas um suposto impedimento gerou insatisfação nos atletas do Cancão. Isso porque o jogo treino contava apenas com o árbitro central, não havendo auxiliares nas laterais para assinalar irregularidades.

Minutos após o gol uma confusão generalizada na lateral direita do ataque do Cancão pôs fim ao treino. Atletas das duas equipes partiram para socos e pontapés, os diretores e comissão técnica apartaram e mesmo assim o clima continuou tenso. Xingamentos, troca de acusações e ameaças foram proferidas dos dois lados.

Agora os dois treinadores terão a semana para conhecer melhor o plantel e preparar seus grupos para as rodadas finais do Baiano e Pernambucano. Do lado petrolinense a estreia de Neco será no domingo (24), fora de casa quando a Fera enfrenta o Central. Já o Cancão fará dois jogos seguidos no seu estádio. Quarta-feira, 20, recebe o Fluminense de Feira de Santana e no dia 24, domingo, será a vez do Vitória.

O recém-contratado técnico Neco, do Petrolina, colocou em campo Pezão, Fieta, Danilo, Lucão e Espeto; Jeferson Piu-Piu, Marcelo e Magno; Raniel, Jean e Reys. Do lado baiano, o técnico Rabello escalou Douglas, Ewerton, Emílio, Emerson e Wallace; Vaguinho, Mika, Patrik e Marquinhos; Jacó e Hugo.