Da Redação - Foto: Reprodução

As aglomerações vistas ao longo da semana não devem resultar em punição aos clubes. Pelo menos é o que afirma o coordenador médico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Jorge Pagura.

Durante a Copa do Brasil, torcedores do São Paulo e América-MG promoveram atos condenados na imprensa esportiva do país, enquanto o mundo ainda enfrenta uma pandemia.

“A CBF cuida do Campeonato e das suas regras. Os clubes tem que cuidar da proteção os próprios atletas, dirigentes e comissão técnica. Às vezes ele consegue segurar o atleta, às vezes não, e ele que tem que passar essa orientação para seguir um protocolo. No fundo, o prejuízo é do clube. O protocolo foi uma experiência totalmente nova, e a gente não tem isso estipulado como uma situação punitiva. Fazemos nossos bloqueios aonde nos compete. Nós notamos um aumento da curva no país e mandamos um alerta para os clubes. Nós não temos hoje, em termos de legislação esportiva, algo para fazer uma punição, porque a gente espera que cada um mantenha sua responsabilidade, É o time, a casa deles“, disse ao programa Gazeta Esportiva.