Neste sábado, às 21h, a maior rivalidade do futebol sul-americano ganha um novo capítulo no Maracanã

Crédito: CBF

É dia de decisão! É dia de superclássico! Neste sábado (10), Brasil e Argentina se enfrentam pela final da CONMEBOL Copa América 2021. A bola rola às 21h no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), com transmissão do SBT e da ESPN Brasil.

Brasil de Neymar e Argentina de Messi disputam a final da Copa América 2021 – Foto Lucas Figueiredo-CBF

Maior rivalidade do futebol mundial, Brasil e Argentina disputarão a final da Copa América pela quarta vez na história. Até aqui, foram dois títulos do Brasil (2007 e 2004) e um da Albiceleste (1937). Ciente do tamanho de uma decisão como essa, o técnico Tite falou sobre a chance de disputar um clássico como esse na final da Copa América.

“A grandeza, a dimensão de Brasil e Argentina, são dois últimos sul-americanos campeões do mundo. 2002, 1994, 1986… Tem uma dimensão, sem desprezar e sabendo da grandeza da Colômbia, do Uruguai. A gente sabe da grandeza de dois ícones do futebol mundial. Falar de Messi e Neymar é falar de excelência, de virtudes técnicas, mentais, físicas, de capacidade de criação muito alta. Aí um grande desafio, um grande espetáculo”, declarou em entrevista coletiva na véspera da partida.

Tite não revelou a equipe que entrará em campo pelo Brasil na decisão, mas confirmou que Thiago Silva será o capitão contra a Argentina. Jogador mais experiente do grupo da Seleção Brasileira, o zagueiro destacou que não há favorito em um jogo como esse e pregou respeito aos argentinos.

“Quando se trata de Brasil x Argentina, o favoritismo fica mais por parte da imprensa. Nós jogadores, da outra parte também, temos muito respeito. A gente joga junto nos clubes. É muito difícil de falar quem é o favorito nesse momento, é sempre um jogo muito equilibrado, sempre decidido nos detalhes, mesmo sendo no Brasil, acredito que não há favoritismo algum. Mas vamos fazer o nosso melhor para tentar ser melhor do que o adversário durante o jogo”, afirmou.

Brasil x Argentina – CONMEBOL Copa América

Data: 10 de julho (sábado)

Horário: 21h

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Transmissão: SBT e ESPN Brasil

Brasil 3×1 Argentina Copa de 1982 – Foto Acervo CBF

Um clássico para entrar na história

A bola nem rolou e o Brasil x Argentina deste sábado já é histórico. Pela primeira vez em mais de 100 anos de competição, a Copa América será decidida entre os dois países no Maracanã, o mais famoso estádio do futebol sul-americano. Duas das mais tradicionais equipes da história da Copa América, Brasil e Argentina somam 23 títulos (14 da Argentina e nove do Brasil) e 25 vice-campeonatos (14 da Argentina e 11 do Brasil).

No entanto, muito por conta do formato original da competição, as duas seleções só se enfrentaram em três finais propriamente ditas de Copa América, com dois títulos do Brasil (2007 e 2004) e um da Argentina (1937).

Dois anos depois de conquistar a Copa América, em 2019, a Seleção Brasileira retorna ao Maracanã para tentar vencer o torneio continental pela décima vez em sua história. E se depender do histórico da competição, o torcedor brasileiro pode ficar animado. A Seleção jamais perdeu uma Copa América realizada no país: foram cinco títulos em cinco edições (1919, 1922, 1949, 1989 e 2019).

O retorno ao Maracanã será especial também para vários jogadores da Seleção Brasileira, como o atacante Richarlison. O Pombo, que se destacou muito jogando no Fluminense, fez o último gol na decisão de 2019 e vive a expectativa por voltar ao estádio onde já foi tão feliz.

“O Maracanã é um estádio muito especial para mim. Lembro até hoje que o meu treinador na base do América-MG, Celinho, me avisou que quando eu fizesse um gol no Maracanã, aí sim que eu iria me tornar um jogador profissional. Quando eu fiz meu primeiro gol de pênalti, (pelo Fluminense) contra o Vitória, a primeira lembrança que veio foi dele. É um estádio muito especial para mim e para todo mundo. Lá fora é um estádio muito conhecido também. Qualquer jogador do mundo quer jogar no Maracanã”, lembrou.

Messi x Neymar

Além da rivalidade entre Brasil e Argentina, outro grande duelo tem movimentado o debate ao redor do clássico deste sábado. Este será o mais importante confronto entre Lionel Messi e Neymar Jr. que o futebol já viu. De um lado, Messi busca seu primeiro título com a camisa de seu país. Do outro, Neymar, que quer uma taça que ainda não conseguiu conquistar, dentro do seu país.

Antigos companheiros dos tempos de Barcelona, os dois têm uma relação muito próxima fora dos gramados e trocaram elogios antes da partida deste sábado. Em entrevistas para a imprensa, Messi e Neymar falaram sobre o duelo.

“O Brasil com o Neymar vai ser muito difícil. Conhecemos o potencial deles, o que o Ney faz individualmente. Eu sei que ele queria que eu estivesse na final porque ele é um amigo”, disse Messi.

“É o melhor jogador que já vi jogar. É um grande amigo que tenho. Só que estamos em uma final, somos rivais, eu quero vencer e trazer esse título”, afirmou Neymar.

Os dois não se enfrentam por seleções desde 2016. Em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, o Brasil derrotou a Argentina por 3 a 0 no Mineirão, em Belo Horizonte. Neymar marcou um gol, deu passe para outro e conduziu a Seleção na vitória.

Equilíbrio e rivalidade de Copa do Mundo

São mais de 100 anos de uma rivalidade que agita todo o futebol mundial. Brasil e Argentina já se enfrentaram 106 vezes, com vantagem para a Seleção Brasileira, que soma 43 vitórias, 25 empates e 38 derrotas. O duelo já se repetiu em três finais de Copa América e já aconteceu em quatro edições de Copa do Mundo.

O primeiro foi na Copa do Mundo de 1974, na Alemanha. Pela segunda fase da competição, os comandados de Zagallo venceram por 2 a 1, com gols de Rivellino e Jairzinho. Quatro anos depois, em 1978, Brasil e Argentina fizeram um clássico muito disputado, que ficou conhecido como “A Batalha de Rosário”. Em um jogo marcado mais pelo lado físico do que pelos grandes lances, as duas equipes ficaram no 0 a 0.

Mais uma Copa, mais um clássico. Em 1982, na Espanha, Brasil e Argentina se enfrentaram pelo terceiro Mundial consecutivo. E, mais uma vez, deu Brasil. Com gols de Zico, Serginho Chulapa e Júnior, a Seleção Brasileira teve uma grande exibição e não tomou conhecimento da Argentina, que tinha Maradona como principal craque.

Mas Don Diego voltaria para uma revanche na Itália, na Copa do Mundo de 1990. Brasil e Argentina ficaram frente a frente pelas oitavas de final. Em uma partida com superioridade da Seleção na criação de oportunidades, foram os argentinos quem saíram com a classificação. Com uma jogada de gênio, Maradona deu uma linda assistência para Caniggia fazer o gol da vitória por 1 a 0.

Retrospecto de Brasil x Colômbia

Jogos: 106

Vitórias do Brasil: 45

Empates: 25

Derrotas: 38

Gols do Brasil: 165

Gols da Argentina: 158

Maior vitória: Brasil 6 x 2 Argentina (1945)

Maior derrota: Brasil 1 x 6 Argentina (1940)