Por Jota Jota
Jota Jota

Em qual destas categorias podemos colocar os dirigentes do futebol da série B do certame baiano de futebol que, em plena PANDEMIA, arregaçaram as mangas e partiram para a disputa de uma vaga na elite do futebol da boa terra. Sim, sabemos que existem os clubes empresas, que estão à frente do Canaã. time da Igreja Universal, o da Faculdade Unirb, e o Barcelona de uma empresa de São Paulo, cujo CEO é Ilheense.

Mas, esperem um pouco, eles gastam uma grana incomensurável, para manter seus elencos em atividade. Gastos com viagens, hospedagens e por aí vai. Então, fui dar uma olhadela nos BORDEROS dos três jogos, para ver o que se tem de despesas, sem que haja receitas, em uma divisão que, mesmo com público, seria deficitária, e pasmem o que os senhores vão ver.

E os times, aqueles que os PATROCINADORES não existem, e as prefeituras é que acabam bancando uma grande parte das despesas? E aí é jogador e treinador sem receber, fornecedores também, e dirigentes tirando do bolso (quando tem) para honrar seus compromissos. Fica difícil ter assim um futebol de qualidade técnica aceitável.

Confiram os borderôs:

http://fbf.org.br/arquivos/tabela_borderos/1357/ARQUIVO_BORDERO.PDF

http://fbf.org.br/arquivos/tabela_borderos/1358/ARQUIVO_BORDERO.PDF

http://fbf.org.br/arquivos/tabela_borderos/1359/ARQUIVO_BORDERO.PDF

Viram?

Agora qualifiquem os dirigentes do futebol do interior da Bahia.

#PRONTOFALEI.