Texto: Maria Akemi – Foto: Globoesporte/Reprodução

Cristiane foi a principal ausência na lista de Pia Sundhage para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Para muitos, a decisão da sueca foi uma surpresa. Contudo, quem acompanha o futebol feminino sabe que a atacante do Santos está longe da sua melhor forma física.

Mesmo diante da “frustração”, Cristiane deu a entender que almejava a vaga. Entretanto, ela não figurava nas listas de Pia há algumas convocações, o que deixa claro que a treinador prezou sim pela renovação desejada pela imprensa.

Diferente de Formiga, que aos 43 anos vai para mais uma Olimpíada, Cristiane oscilou de rendimento. Apesar disso, ela queria entrar pelo “histórico” na Seleção Feminina.

“E esse seria minha última Olimpíada, pra fechar um ciclo como a maior artilheira de todos os tempos na modalidade- no feminino e masculino. São 14 gols, é bastante coisa, e mais do que isso, é lembrar que desde a minha 1ª participação na Seleção, em 2003, faço parte de uma geração que abriu portas para o desenvolvimento da modalidade, crescimento e profissionalização do Futebol Feminino no Brasil“, disse nas redes sociais.