Daniel Alves mantém rotina de treinos à espera da volta do futebol

Atleta mais velho do elenco são paulino, o baiano de Juazeiro é visto como exemplo para jogadores mais jovens e referência para os mais experientes
Da Redação – Por Carlos Humberto
Daniel Alves, capitão do São Paulo (Foto: Rubens Chiri/Divulgação/SPFC)

Impedidos pela ação da pandemia do novo coronavírus, que proíbe jogos em todo país, clubes do futebol brasileiro utilizam rigorosos protocolos médicos para manter em atividade o elenco de jogadores, à espera de a bola voltar a rolar. Neste cenário, os treinos físicos acontecem em residências ou espaços isolados disponibilizados pelos clubes.

Dentro do São Paulo, o capitão Daniel Alves é considerado uma peça essencial para o funcionamento do esquema tático do técnico Fernando Diniz. Aos 37 anos, o baiano de Juazeiro é o jogador mais velho do plantel tricolor, e sua privilegiada condição física é motivo de otimismo para que, mais uma vez, o maior ganhador individual de troféus do futebol mundial lidere a caminhada do São Paulo na conclusão da temporada 2020. Sem treinos coletivos, o jogador mantém rotina de preparação individual, seguindo a determinação do departamento de futebol do clube.

Considerado como acima da média tanto física quanto intelectualmente entre os companheiros, Dani Alves é exemplo para os atletas mais jovens e atento aos problemas sociais de sua classe e da sociedade como um todo. Em entrevista à CNN fez coro às manifestações contra o racismo após o caso George Floyd, nos Estados Unidos, e afirmou ser contrário à generalização de que todos os brancos são racistas e pediu mais humildade e atitude às pessoas para combater a questão.

Campeão e eleito melhor jogador da última Copa América pela Seleção Brasileira, Daniel continua merecendo o respeito e confiança do técnico Tite que o tem como intocável na lista de convocações. Até a paralisação do futebol, Daniel atuou 11 vezes e marcou cinco gols pelo Campeonato Paulista e Copa Libertadores.

Com informações do site Goal