Destruidor de baianos

Por Tony Martins - Foto-capa: Pietro Carpi/ECV/Divulgação

Mais uma vez temos que fazer uma referência e uma alusão ao Ceará Sporting que se tornou em pouco tempo num destruidor de baianos. Nesse sentido, há de se louvar o trabalho de Guto Ferreira, ex-treinador do Bahia, que à frente do time cearense venceu os seis últimos jogos contra a dupla BA-VI, quatro dos quais em Salvador.

Os cearenses ganharam o título da Copa do Nordeste deste ano em cima do Bahia (em 2015 já havia sido campeão contra o mesmo Bahia) e já ganhou a primeira partida diante do tricolor pelo Campeonato Brasileiro da série A. Eliminou o Vitória da Copa do Nordeste e da Copa do Brasil, sempre de forma tranquila, pois, em nenhum momento, a dupla BA-VI mostrou-se com força e competência diante do adversário.

As sucessivas derrotas contra o Ceará causaram intranquilidade nas hostes tricolores, aonde o trabalho do treinador Roger Machado está sendo questionado por parte da imprensa e da torcida, num momento em que a equipe que ocupa a oitava posição na série A, terá quatro jogos difíceis pelo Brasileiro: Palmeiras, Grêmio, Internacional e Flamengo que são favoritos ao título.

O Vitória que não foi bem no Campeonato Baiano nem na copa do Nordeste, faz uma campanha razoável na série B, com sete pontos ganhos ocupa a nona posição, dois pontos a menos do quarto colocado que é o Operário de Ponta Grossa-PR, sendo que o líder Paraná soma onze pontos. Ou seja, o rubro negro tem grandes possibilidades de entrar no G4, pois, invicto na competição, empatou quatro vezes e ganhou uma partida, terá a chance de entrar na zona de classificação ou dela se aproximar, basta vencer seu confronto de sábado no Barradão contra o Paraná.