Tite confirmou Alan em lugar de Casemiro, suspenso por cartão amarelo

Por Carlos Humberto - texto e foto
Everton Cebolinha na partida contra a Venezuela na Fonte Nova em 21-06-2019 (Foto: Carlos Humberto/Agência CH)

A seleção brasileira abre a fase de quartas de final da Copa América nesta quinta-feira 27, às 21h30, contra o Paraguai, com ares de favorito, se levado em consideração o histórico dos confrontos. Em 80 jogos, o Brasil venceu 47 vezes, empatou 21 e sofreu 11 derrotas para os paraguaios.

Porém, levando-se em consideração os números mais recentes, o equilíbrio é digno de ferrenhos adversários. No século 21, em 13 jogos, foram cinco vitórias da seleção canarinho, cinco empates e três triunfos da seleção paraguaia.

Esquecido o futebol apresentado diante do Peru, quando goleou por 5 a 0, o time de Tite deixou a desejar nos primeiros jogos da competição, sendo vaiado em alguns. Porto Alegre tem a chance de assistir à arrancada para o título ou chorar o pobre futebol que macula a história do time pentacampeão mundial.

As presenças dos gaúchos Alisson, ex-Internacional, Arthur e Everton Cebolinha, gremistas, tem o efeito catalisador de chamar o torcedor para o lado da seleção, o que não é pouco. Em grande fase, um dos poucos brasileiros a atuar em território nacional, Cebolinha poderá ser o algo mais que falta ao time de Tite, órfão do talento e improviso de Neymar.

Recém conduzido ao posto de treinador da seleção paraguaia, Eduardo Berizzo ainda não conseguiu dar um padrão de jogo confiável ao time. Os resultados negativos de amistosos na fase de preparação, e mesmo o futebol jogado na Copa América deste ano – quando se classificou em terceiro do seu grupo, sem vencer um jogo e saldo de um gol negativo -, não recomendam apostas numa vitória sobre o Brasil na Arena do Grêmio.

Como o futebol prega às vezes desagradáveis surpresas, nunca é demais lembrar que nas edições 2011 e 2015 dessa mesma competição, o time guarani eliminou o antigo país de chuteiras, nos pênaltis.

E, pelo regulamento, em caso de empate no confronto desta quinta, a decisão vai depender do aproveitamento dos jogadores nas cobranças da marca do pênalti. Se isso acontecer, é hora de cruzar os dedos e torcer.

O vencedor de Porto Alegre enfrenta o vencedor de Venezuela e Argentina, que jogam amanhã 28, no Estádio do Maracanã, na fase semifinal. A partida será no Mineirão, palco do desastroso 7 a 1, no dia 2 de julho, às 21h30.