Discurso desafinado

Jair Bolsonaro segue sem falar a mesma língua de Luiz Henrique Mandetta. O presidente voltou a contrariar abertamente as recomendações do ministro da Saúde para que se evite aglomerações e cumprimentou apoiadores no sábado, em visita a hospital de campanha em Goiás. No dia seguinte, disse em live com religiosos que o coronavírus “parece que está começando a ir embora ” – a declaração não tem respaldo na ciência nem nos números, que não param de subir no país. Diante do comportamento do chefe, Mandetta cobrou em entrevista à TV Globo, considerada “inimiga” por Bolsonaro, uma “fala unificada” para que a população não se confunda.

A COVID-19 NO BRASIL

Os números do coronavírus no Brasil continuam subindo e o país registra 1.223 mortes e 22.169 infectados pela doença. Em um dia, foram 99 novos óbitos. O estado mais afetado segue sendo São Paulo, com 588 vítimas e 8.755 diagnósticos positivos. Mandeta afirmou que os casos ainda vão aumentar ao longo de abril e que os meses de maio e julho serão “muito duros”. Na estratégia contra a Covid-19, o ministério da Saúde prometeu realizar de 30.000 a 50.000 testes por dia – atualmente são cerca de 4.000. O plano é criar “o mais breve possível” centros de coleta para pacientes com sintomas leves. Nesta semana também começam a ser distribuídos 1 milhão de testes rápidos que serão usados em agentes de saúde.

Veja.com