Diversidade musical e popular é destaque nos blocos do Carnaval de Juazeiro

Mayane Santos/Estagiária Ascom PMJ sob supervisão de Raphael Leal

A diversidade do carnaval também se encontra na referência às tradições carnavalescas da cidade. Seja nos trios dos circuitos oficiais, seja nas ruas dos bairros juazeirenses, os blocos ainda resistem ao tempo e acompanham as transformações pelos quais passam essa festa. Em 2020, Juazeiro dará continuidade à pluralidade. Durante os três dias dos festejos de carnaval, que acontecerão entre 7 e 9 de fevereiro, os blocos ‘Filhos de Zaze’, ‘Fubá de Jegue’, ‘As Bunitas da Banca’, ‘Respeita as Mina’” e ‘Eu, você, João’ prometem fazer a alegria dos foliões.

O clima de diversão presente nos blocos também abre espaço para a discussão de temáticas sociais, como é o caso do ‘Respeita as Mina’, idealizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES), da Prefeitura Municipal de Juazeiro. A proposta do cordão carnavalesco, de acordo com a secretária Cida Gama, é chamar a atenção dos foliões para o combate à violência contra a mulher. “Procuramos fazer isso logo no início do carnaval, por isso saímos na sexta-feira, primeiro dia de festa”, explica.

A secretária ressalta ainda, que a adesão do público ao ‘Respeita as Mina’ tem sido cada vez maior, tanto por pessoas que acompanham vestidas com o abadá oficial do cordão, quanto pelo público em geral, que se junta ao cortejo. Este ano, o bloco desfila com show da artista soteropolitana Ana Mametto.

Assim como o ‘Respeita as Mina’, o bloco do ‘Afoxé Filhos de Zaze’ também procura levar para avenida o debate sobre questões sociais. “A proposta inicial e principal do grupo sempre foi trabalhar a quebra de preconceitos contra as culturas de origem africana”, destaca o coordenador e músico do afoxé, José Rosa. Oriundos dos tambores que ecoam no terreiro Ilê Asé Ayra Onyndancor, no bairro Quidé, os Filhos de Zaze circulam no circuito do Carnaval de Juazeiro, desde 2012, com ritmos como o samba, o ijexá e a chula (gênero musical oriundo do Recôncavo da Bahia).

“O importante é exercer o direito à alegria”, é o que conta o idealizador do bloco ‘Eu, você, João’, Rogério Leal. Com clara referência ao idealizador da Bossa Nova, João Gilberto, o grupo sairá pelo terceiro ano consecutivo no carnaval de Juazeiro. O bloco possui origem do projeto homônimo que promove, há quatro anos, atividades musicais no Vaporzinho, na Orla da Cidade.

De dentro do Santo Antônio, a expressão popular acontecerá por meio do grupo ‘As Bunitas da Banca’. O cortejo sai pelas ruas do bairro há cerca de 10 anos, com concentração na Praça da Paz e, este ano, será acompanhado por ritmos diversificados, como o axé music, o funk, o pagode e o piseiro. O bloco procura contemplar os moradores dessa localidade, já que nem todos acompanham o circuito oficial da festa.

O Carnaval 2020 apresentará, além dos já conhecidos, o nascimento de novos blocos. O ‘Fubá de Jegue’, que busca reavivar a memória dos antigos carnavais, desfila pela primeira vez com a presença da Orquestra Sapupara. “A proposta surge da necessidade de resgatar a aura dos blocos carnavalescos do passado”, conta o organizador do ‘Fubá de Jegue’, o artista plástico Iehoshua Iahueh.  E conclui atentando para a importância de manter essa memória acesa: “recordar os bons momentos de alegria é também apresentá-los às gerações mais novas”.