Crédito: Correio Brasiliense

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu na manhã desta quarta-feira (08) com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. O encontro ocorreu pela manhã e constava na agenda oficial do chefe do Executivo.

Questionada, a assessoria do Planalto não divulgou o tema tratado entre eles. Mandetta não falou com a imprensa. O ex-ministro da Cidadania, Osmar Terra, também compareceu no Planalto. A jornalistas, afirmou que seguia para a Casa Civil.

A reunião a portas fechadas de Bolsonaro com Mandetta, ocorre dias do presidente ameaçar demiti-lo. Ambos entraram em conflitos em razão da condução da crise do novo coronavírus.

Bolsonaro defende a reabertura de comércios e o isolamento vertical, onde apenas pessoas em grupos de risco permanecem em confinamento.

Já Mandetta, que defende o trabalho técnico, baseado na ciência e toma as decisões de acordo com recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), defende que a população continue em quarentena. Eles também divergem em relação ao uso da hidroxicloroquina, medicamento apontado por Bolsonaro como potencial no tratamento da COVID-19.

Mandetta por sua vez, argumenta que não há embasamento científico que comprove que o remédio seja efetivo na cura do coronavírus. Segundo ele, os médicos brasileiros podem até prescrever a cloroquina ao paciente, desde que “se responsabilizem individualmente” pelos efeitos colaterais da medicação.