Em pronunciamento confuso, Presidente rebate ex-ministro e o acusa de barganhar cargo no STF

Em seu Twitter, Sérgio Moro nega

Da Redação - Foto: Reprodução TV Globo News - Vídeo: Agência Brasil

Cercado do alto escalão do governo federal, o presidente Jair Bolsonaro reuniu a imprensa no Palácio do Planalto e durante 40 minutos fez sua defesa rebatendo acusações do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro na manhã desta sexta-feira 24, quando anunciou a sua saída do governo.

De acordo com analistas de Brasília, o pivô da crise atribuída à demissão do diretor da Polícia Federal Maurício Valeixo é apenas parte da verdade. O desgaste entre o presidente e o seu ministro de maior popularidade vinha desde meados do ano passado, quando, nas alegações de Moro, o presidente insistia em interferir na condução da política do ministério, sugerindo substituições, pedindo informações e cobrando investigação em casos do seu interesse.

Durante a coletiva, o presidente acusou Moro de condicionar a saída do diretor Valeixo a sua indicação ao Supremo Tribuna Federal (STF), e de pensar mais no seu currículo do que no País. O chefe da nação também fez questão de revelar a sua decepção com o ex-subordinado e relatou fatos que teriam acontecido para o desgaste da relação, o que deixou pouco esclarecedor o seu depoimento. O presidente traçou uma linha do tempo desde a primeira vez que encontrou o na época juiz federal no aeroporto de Brasília em 2017, e garantiu que já sabia que o ministro sairia atirando e fez esse alerta a parlamentares durante o café da manhã.

Acompanhe o vídeo com o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro.