Por Carlos Humberto
Erasmo Carlos completa 80 anos (Foto: Guto Costa/Divulgação)

O carioca Erasmo Esteves nasceu em 5 de junho de 1941, no bairro da Tijuca, mas Erasmo Carlos se revelou para o mundo da música no final dos anos 50 e início dos anos 60, quando conheceu o capixaba Roberto Carlos e, juntos, iniciaram um dos maiores movimentos musicais da música brasileira, a Jovem Guarda.

Filho de mãe solteira, só conheceria o pai aos 23 anos. Em 1957, ao lado de Tim Maia, Artênio Lívio, Wellington Oliveira e Roberto formaram a banda de rock The Sputniks, onde deu os primeiros passos na música. Nessa época, também foi contemporâneo de Jorge Benjor e Wilson Simonal, que viriam a construir carreiras sólidas e de destaque nacional.

Embora o trabalho construído ao lado do parceiro e amigo Roberto Carlos seja o lado mais visível de sua história musical, com seu talento nato para compor – “Não me considero cantor, sou um intérprete e compositor” – Erasmo ganhou vida própria e se transformou em referência para gerações que o respeitam e o idolatram como homem e artista.

Ao completar 80 anos – sem festa de arromba, a comemoração, segundo ele, será restrita aos familiares –, o Tremendão continua em forma com trabalhos inéditos e prontos para desabrocharem. Eternamente otimista e sonhador, o gigante gentil aposta no projeto “O futuro pertence à Jovem Guarda” para retornar à cena em épocas de pandemia.

Além de muitos planos que envolvem a releitura de sua carreira e dar voz e vez a artistas da época da Jovem Guarda, Erasmo assegura que a parceria com Roberto continua e, em breve, músicas novas surgirão nos trabalhos dos dois cantores.

Vida longa, Erasmo.

SUGESTÃO DE LEITURA

Erasmo Carlos, aos 80 anos, se revolta com a CPI da Covid e diz que ficou mais caseiro