Almoçar não é contratar: Falôôô… A opinião de Jota Jota

Como algumas postagens nas redes sociais são useiras e viseiras em passar o carro na frente dos bois, e ou chutar notícias, por pura visualização de um momento, em que dois amigos, se encontraram, para um almoço e jogar um pouco de conversa fora.

Um almoço que Manoel Matos teve com Willian Farias, ambos foram fotografados e, imediatamente, se falou no retorno do jogador para as fileiras do Vitoria, o que não é verdade, pois o combinado nunca foi caro e na nova administração, as contratações estão a cargo de Paulo Carneiro, que por sinal, já negocia com atletas, dentre eles um goleiro.

Ao apoiador Manoel Matos, cabe o lado financeiro do clube, por sua expertise, não só na vida pessoal, mas também no futebol, e acredito fielmente que não seria na mesa de um restaurante, que se contrataria um jogador, nem pela má fase, o Vitoria é um Íbis da vida. A conversa fora de amenidades, e claro não faltando seleção, Vitoria e o São Paulo, onde Willian Farias, está muito bem.

Ao obter com uma fonte segura, tais informações, pude tomar ciência, de que a conversa com a Arena Fonte Nova, estão bem encaminhadas, mas que por conta do São João, e da realização da desinteressada Copa América, as negociações, também deram um pit stop, e as mesmas tem na frente Manoel Matos, que outrora, já negociou com os dirigentes do equipamento.

Embora bem adiantadas, ainda nada definido, as cláusulas contratuais, precisam ser bem definidas, e que sejam vantajosas para ambas as partes, e nada relacionado, ou comparado ao contrato do Bahia, sendo que uma coisa é uma coisa, e outra coisa, é outra coisa.

Afoito pela melhoria do seu time, o torcedor do Vitoria, se apoia em quase tudo que ouve, e vê, nesta Inter temporada, querendo que a má fase voe para bem longe, e as orações acontecem também no feriado de Corpos Christi. O trabalho continua, em todos os setores do clube, sem, no entanto, muitos estardalhaços, para que não se dê esperanças perdidas, neste momento, todo cuidado é pouco, porque tudo passa pelo financeiro, e com menos 30 milhões no caixa, o mungunzá de são João, está comprometido.

#PRONTOFALEI.