Falôôô... A opinião de Jota Jota

Não fora nada de tão diferente do que vínhamos vendo, o time do Bahia não apresentou nenhuma evolução visível, e nem poderia fazê-lo, com o curto espaço de tempo que o novo treinador teve à frente do elenco. E, estreando em uma partida decisiva, dentro da Copa do Brasil, pela terceira vez, o time tricolor enfrentou o CRB das Alagoas, em uma partida em que os dois times, nada apresentaram de emocionante.

O Bahia teve sim, o maior tempo de bola, mas novamente, não conseguiu chegar objetivamente ao gol adversário, e com o tempo passando, a partida foi ficando dramática, e caminhando para decisão por pênaltis.

Percebemos a diferença no banco de reservas, Roger Machado é bem mais participativo do que fora Enderson Moreira, enquanto técnico do time. Mas seus gritos, não surtiram efeitos extraordinários, os defeitos do meio de campo para frente, voltaram a aparecer, roda, roda, mas não consegue furar um bloqueio bem armado, novamente mostrado na noite da terça-feira.

Sempre dissemos que o elenco do Bahia precisa de jogadores pontuais, que trabalhem na inteligência, armando as jogadas no meio de campo, falta a cabeça pensante, com passes precisos, para o avanço dos jogadores de beiradas, e as conclusões dos dois matadores, juntos e ou separados, a necessidade voltou a ficar evidente, e deve sim ter sido percebida pelo professor.

Com tudo isso, o time brigou muito em campo, e não faltou dedicação, em busca do placar que veio nos acrescimentos, em uma jogada de oportunismo, levando o tricolor à classificação, e aliviando os corações tricolores nas arquibancadas da Arena Fonte Nova, um a zero em cima do CRB, placar que garantiu a próxima fase, e mais 1,9 milhões de reais nos cofres. Como dissemos, nada de cara do treinador na partida, nem tempo para decorar os nomes ele teve, ainda bem que estavam escritos nas camisas, fez as substituições, sem ser professor Pardal, mas buscando deixar o time na frente, buscando o triunfo, e para sua alegria, veio no final, alegrando o treinador, que não tropeçou no começo.

Agora a chave de competições, será novamente virada, e o Bahia, se volta para os jogos decisivos do certame baiano, quando vaio enfrentar em jogo de ida e volta, o Bahia de Feira, com a primeira partida no próximo final de semana, Roger Machado, terá mais quatro dias de treinamento intenso, para ir moldando seu time, na forma em que gosta de jogar, sem no entanto, deixa-lo na ponta dos cascos, a adaptação, vai ser gradativa.

Portanto, valeu muito o resultado do jogo, porque tecnicamente, não vimos nada de evolução.

#PRONTOFALEI.