Por Tony Martins - Foto/capa: Carlos Humberto/Agência CH

O futebol de várzea em Juazeiro está, aos poucos, voltando a ser desenvolvido. No entanto, não consigo ainda perceber qualquer tipo de esclarecimento e comunicação que possa estabelecer os devidos critérios que garantam tranquilidade aos praticantes e aos espectadores do futebol amador em Juazeiro, cuja atividade voltou a ser praticada em campos de várzea e clubes sociais da cidade.

Nesse sentido, quero utilizar como referência o matemático e filósofo inglês Thomas Hobbes que, analisando a natureza humana reputa “o homem como lobo do próprio homem”. Fazendo uma transposição desse ponto de vista para nossa realidade, podemos dizer que no momento atual e com os riscos iminentes do contágio pelo coronavirus, a prática do futebol na cidade, sem o cumprimento dos protocolos e os devidos cuidados, pode ocasionar a contaminação entre pessoas.

Sendo assim, espero coerência na natureza humana (cuidados por parte das pessoas e evitar aglomeração) e o rigor jurídico (cumprimento do protocolo, fiscalização e ordenamento), para que o esporte seja entretenimento e lazer e não risco de contágio.