Hombridade e respeito ao Figueirense

A opinião de Jota Jota*
Jota Jota

Estas foram as atitudes de jogadores, comissão técnica e funcionários do Figueirense na noite desta terça-feira, quando cumpriram no Mato Grosso mais uma partida da série B do Brasileiro, arrancando um empate sem abertura de contagem diante do Cuiabá, quarto colocado na competição, e que perdera apenas um jogo, depois de terem sido agredidos por vândalos em pleno local de treinamento.

Esse lamentável fato repercutiu no mundo esportivo, causando repúdio em todos as modalidades, com mensagens de apoio e reprimenda contra os vândalos, que agrediram e feriram atletas e funcionários do Figueira. Depois desta barbárie, o time foi a campo, diferentemente do ano de 2019 quando, diante do mesmo Cuiabá, levou um WO, por atraso de salários não enfrentando o adversário. Desta feita, os comandados de Elano, aquele meio campista do Santos e da Seleção Brasileira, mostraram que podem superar as dificuldades.

O resultado só não fora positivo, devido a um erro de arbitragem, que anulou no último segundo da partida, um gol legítimo do Figueirense, mas de difícil percepção a olho nu, sendo necessária a intervenção eletrônica, mas o tal do VAR, só funciona para os primos ricos, aqueles da série A, também conhecida como elite, pois na CBF os direitos não foram, não são e nunca serão iguais, tudo para uns, e nada para os demais.

Mas, como correram os moços do Figueira, e olhe que perderam inúmeras oportunidades, acredito mais pela ansiedade, e precipitação, tentando mostrar com gols que não estavam mortos, e pecaram nas finalizações, mas em boa parte da partida foram superiores ao Cuiabá, os donos da casa.

Os atletas começaram a responder positivamente àquela meia dúzia de BANDIDOS, com resultado satisfatório, e fora de casa, atuando de cabeça erguida, apesar da ferida encrustada na alma, pois ninguém quer ser agredido, seja lá por que motivo for. Agora, espera-se a resposta positiva das autoridades policiais de Florianópolis, na identificação, e prisão dos agressores, para que o exemplo seja dado, e jamais repetido, seja lá por quem, e onde for, é preciso dar um basta nestas hipocrisias.

E olhem, aproveitando para chamar a sua atenção, com relação a arbitragens na série “B”, onde os erros estão sendo constantes, no outro jogo da terça feira 8, o Confiança fora aniquilado pelos erros dos apitadores, que marcaram pênalti inexistente, e um gol em completo impedimento, beneficiando o Juventude em Caxias do Sul, quando o resultado moral do jogo, seria 1 a 1. Fiquem de olho no apito.

Força rapaziada do Figueira, vocês podem e vão se recuperar.

#PRONTOFALEI.

*Esse texto é de inteira responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do site Agência CH.